A 11ª edição do “Míscaros - Festival do Cogumelo” tem este ano como mote a fantasia. É em ambiente familiar, nas ruas enfeitadas da aldeia de Alcaide, na vertente norte da Serra da Gardunha, que os visitantes e locais são convidados a degustar algumas, entre as mais de 300 espécies de cogumelos da região.

Durante os três dias de festa, de 15 a 17 de novembro, os visitantes podem conhecer toda a envolvente natural da região, assim como degustar as diferentes receitas de cogumelos nas cerca de 60 tasquinhas da aldeia, preparadas a rigor para a ocasião.

Serra da Gardunha: Uma saída para a apanha dos cogumelos, "a carne de galinha dos bosques"
Serra da Gardunha: Uma saída para a apanha dos cogumelos, "a carne de galinha dos bosques"
Ver artigo

Para além de fazerem as delícias de todos aqueles que visitam o Alcaide durante estes dias, uma das especialidades culinárias apresentadas será a vencedora do concurso de melhor prato de cogumelos do festival. A competição decorre durante todo o evento e, no final, o júri, composto por dois chefes de cozinha e um crítico gastronómico, elegerá o vencedor.

No decorrer do festival será também possível participar nos passeios micológicos, acompanhados por especialistas, como o engenheiro Ricardo Torres da Silva, a bióloga Anabela Marisa Azul e Sílvia Leão; participar num refrescante passeio na companhia dos fiéis amigos de quatro patas, no “Passeio CÃOgumelo”, ou ainda aprender a preparar um kit de produção de cogumelos no workshop “Fungi PerfectW.

Ao longo de toda a programação encontram-se ainda sessões de live cooking realizadas pelos vários chefes de cozinha presentes: Joe Best, Tiago Martins, Duarte Batista e Flávio Silva, e a representar a geração futura, o jovem Pedro Jorge, ex-concorrente da primeira edição do programa de televisão Masterchef Júnior.

Além das vertentes lúdica e cultural, o Míscaros tem uma preocupação social e ambiental. Desta forma, o grande almoço de domingo composto por arroz de míscaros orça 1,00 euro, sendo que metade do valor reverte a favor de um projeto social, o projeto de acolhimento e integração de refugiados no Fundão.

Neste contexto, a edição deste ano promove uma sessão solidária de live cooking, de forma a promover os costumes e sabores das suas diferentes culturas.

Os comeres com os cogumelos da Serra da Gardunha vão estar em festa numa aldeia beirã

Com a mesma consciência social, o evento engloba a iniciativa “Cozinhar Diferente”, pela mão do chefe de cozinha Ricardo Besteiro, momento que pretende promover a participação de jovens cozinheiros portadores de Síndrome de Down no universo da gastronomia, e permitir ao público em geral observar técnicas de preparação e confeção dos protagonistas deste festival, sensibilizando para o papel preponderante que a inclusão detém na sociedade.

No decorrer do festival, as crianças contarão com um espaço que lhes será inteiramente dedicado, a Miscolândia, um recanto que possibilita a diversão, ao mesmo tempo que ensina e sensibiliza para a causa ecológica.

Todo o material utilizado no decorrer do festival é biodegradável. Desde os pratos recicláveis aos copos inteiramente de origem vegetal, com base em ácido poliláctico (PLA), que requerem baixo consumo energético na sua produção e que, após utilização, podem ser reciclados ou decompostos, num período entre 45 a 60 dias.

O Festival conta com a organização da Liga dos Amigos do Alcaide, em conjunto com a Câmara Municipal do Fundão e a Junta de Freguesia do Alcaide.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.