Será do terreno arenoso, da temperatura amena e ausência de geadas, ou será do método de produção pouco intensivo e “praticamente” biológico, com reduzido recurso a produtos químicos? Para Teresa Resende, autora do livro agora publicado pela Câmara Municipal de Aljezur (CMA), o sabor único desta batata-doce deve-se a todas estas condicionantes. O facto é que a batata-doce tem propriedades nutritivas que não são de desprezar, como o alto teor de vitamina A e C, além de um índice glicémico inferior ao da batata dita normal.

A autora pesquisou e levou ao papel 50 receitas de batata-doce, umas tradicionais, outras assinadas por chefes de cozinha, com o auxílio do chefe Vítor Esteves, que confecionou todas as receitas, e de João Mariano, que fotografou e coordenou a edição do livro. Houve já uma apresentação na FNAC do CC Vasco da Gama e segue-se outra no Algarve Shopping, a 14 de dezembro.

José Gonçalves, vice-presidente da CMA, diz que esta obra vem dar destaque aos 12 anos de festivais gastronómicos da vila, como o dos percebes e o da batata-doce. Entre 1 e 4 de dezembro de 2011, mais de 30 mil pessoas visitaram este festival.

A batata-doce de Aljezur é um produto IGP (Indicação geográfica Protegida) com uma produção anual de 150 toneladas.

Batata-Doce de Aljezur
Edição: Câmara Municipal de Aljezur
Preço: €10,00 ou €17,00 (versão capa dura)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.