São portuguesas e custam 80 € mas a estilista e empresária norte-americana Tory Burch estava a vendê-las por 695 € como se fossem uma criação própria, apesar de já ter sido confrontada com a apropriação indevida pelos orgãos autárquicos da Póvoa de Varzim, de onde as seculares camisolas poveiras são originárias. Depois de o jornal Público o ter denunciado publicamente, a criadora de moda deixou de as comercializar e recorreu ao Twitter para pedir desculpa com uma publicação escrita em português.

Não foi, no entanto, a primeira vez que o fez. Em 2017, Tory Burch viu-se obrigada a redimir-se publicamente por causa de um vídeo que fez para promover a sua coleção de primavera/verão desse ano. Divulgado pela revista Elle Malaysia, mostra a modelo e atriz Poppy Delevingne a dançar num barco com duas bailarinas brancas ao som de "Juju on that beat", um single de Zay Hilfigerrr & Zayion McCall, reproduzindo a coreografia original da canção, que entretanto se tinha tornado viral nas redes sociais.

A ideia de ver três mulheres brancas a executar os movimentos idealizados por artistas negros não caiu bem. Alvo de fortes críticas e acusada de apropriação cultural, a estilista cancelou de imediato a campanha. "A nossa intenção foi celebrar a música de que gostamos na nossa coleção primaveril", justificou na altura. "Já removemos o vídeo de todos os nossos canais e eu, pessoalmente, lamento profundamente que possamos ter magoado os sentimentos de alguém", afirmou Tory Burch em comunicado de imprensa.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.