O rapper belga Roméo Elvis vive dias difíceis. Uma mulher de 23 anos, que tinha trocado mensagens na aplicação móvel Snapchat com o artista, acusa-o de a ter assediado sexualmente, em maio do ano passado, na loja Bison 4, propriedade de amigos do músico de 27 anos. "Entrei numa cabine para experimentar roupa, ele veio atrás de mim, entrou, fechou a cortina e apalpou-me o peito", denunciou a mulher belga, que se recusa a revelar a sua verdadeira identidade, ao site informativo StreetPress.

Cantora portuguesa acusa Serge Gainsbourg de assédio sexual. "É o Harvey Weinstein da canção"
Cantora portuguesa acusa Serge Gainsbourg de assédio sexual. "É o Harvey Weinstein da canção"
Ver artigo

A antiga fã de Roméo Elvis pediu-lhe para parar e relembrou-lhe que ele tinha namorada mas o rapper terá alegadamente continuado. "Meteu-me as mãos nas calças e apalpou-me o rabo", acusa. A vítima procura demovê-lo e, por fim, consegue. "Ele, de repente, para e vai-se embora. É como se estivesse em transe e tivesse acordado", refere a queixosa. Em pânico, abandona o local, mas, pouco depois, envia-lhe uma mensagem. "Não te quero estragar a vida. Pretendo apenas que percebas que o que fizeste é errado e que não o voltes a repetir", apela. O intérprete de êxitos como "Chaud" e"Malade" responde-lhe e pede-lhe desculpa.

Três meses depois, em agosto, ela volta a contactá-lo. Diz-lhe que continua a sofrer com o episódio e pede-lhe para se encontrarem pessoalmente. Ele aceita. A conversa dura quase duas horas. Mais de um ano depois, no passado dia 5, após o rapper francês de ascendência argelina Moha La Squage, que também colaborava com a Lacoste, ter sido acusado publicamente de assédio sexual, a mulher belga resolve tornar públicas as mensagens que trocou com Roméo Elvis, que nunca desmentiu os avanços.

Apanhada de surpresa, a marca de moda francesa fundada pelo tenista René Lacoste e pelo empresário André Gillier em 1933, que tinha escolhido o artista para promover a coleção de primavera/verão 2020 da etiqueta, decide cessar a colaboração com Roméo Elvis e com Moha La Squage. "Estamos perante uma questão ética e moral. Esses valores não se coadunam com a imagem da Lacoste", confirmou fonte interna da empresa ao jornal 20 Minutes. A marca colaborava com o artista desde outubro de 2019.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.