Uma das camisolas, criadas pela marca local J.Cook, mostra a imagem de um cão vestido com um colete à prova de bala e óculos escuros.

"Temos vários assim", conta Tatiana, referindo-se a Patron, mascote condecorada em maio pelo presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, pela sua habilidade em encontrar minas terrestres.

"Gosto do pequeno Patron", acrescenta Valéria, filha de Tatiana.

Segundo o criador da J.Cook, Sergeyi Fiut, atualmente estas t-shirts são "as mais populares" da marca.

"Em 90% dos casos, as pessoas escolhem t-shirts com referências militares. É como uma forma de expressão. As pessoas querem mostrar que isso as afeta", explica o empresário de 34 anos, feliz com o aumento das vendas.

A maioria dos clientes são mulheres que compram as peças para oferecer aos maridos ou familiares que lutam na linha de frente, aponta.

"Talismã"

Esta indústria crescente reflete-se numa das principais rotas comerciais de Kiev. A loja Vsi Svoi apresenta uma ampla variedade de roupas patrióticas.

Na entrada, um manequim veste uma camisa SIL'wear, estampada com um míssil antitanque US Javelin com fundo florido.

Maria Iakniunas, sócia da marca, diz que o design, chamado "Talismã", é um dos mais vendidos.

O desenho é inspirado num traje popular ucraniano, no qual os camponeses penduram panos bordados com estampados florais para afastar a má sorte.

"Hoje, o Javelin nas mãos dos nossos guerreiros é o talismã de cada ucraniano", explica Iakniunas, de 31 anos.

Tanto a SIL'wear quanto a J.Cook doam parte dos seus lucros para as forças armadas.

Outros desenhos trazem troça de afirmações da propaganda russa como, por exemplo, que a Ucrânia usa pombos geneticamente modificados como armas biológicas.

Após estas declarações, J.Cook desenhou uma t-shirt com a imagem de um pombo com capacete militar e a cintura cheia de munições.

Os russos "dão-nos ideias para os nossos desenhos", reconhece Fiut, que se diverte com as afirmações de Moscovo.

Enviar uma mensagem

Estas t-shirts "enviam uma mensagem e por isso é importante usá-las", diz Mykola, de 14 anos. "Ou simplesmente porque gosta de uma", acrescenta.

Numa outra loja, são vendidas joias nas cores amarelo e azul da bandeira, criadas por designers ucranianos,.

"Tudo é tão patriótico agora", diz a gerente Anna Perebynos, de 22 anos. A sua loja organiza eventos especiais para os clientes descobrirem designers ucranianos que estão a lançar novas coleções apesar da guerra.

Há também camisas tradicionais. "Temos muitos pedidos vindos do estrangeiro, de pessoas que nasceram aqui e que partiram", diz Perebynos.

A onda de patriotismo também está presente na maquilhagem e algumas mulheres pintam os olhos de amarelo e azul.

"É uma grande tendência, mostra que as pessoas nos apoiam", diz.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.