Há cinco anos, os triquínis e os fatos de banho recortados faziam furor. As calças de gancho descaído estavam em voga e o look andrógino era copiado por milhares de mulheres. Passado este tempo, será que ainda se usam? Será que a moda evoluiu assim tanto em meia década. A consultora de imagem Babi Pereira, autora do blogue Babi, a única, sempre atenta às tendências, foi à procura do que (não) mudou.

Triquínis ou fatos de banho recortados. Eram uma das tendências há cinco anos. Continuam em voga? Se sim, quais os que se vão usar mais? Se não, qual é a grande tendência a este nível?

O swimwear tem vindo a sofrer alterações e, atualmente, já não existe a ditadura do biquíni, quando este parecia deter o monopólio no que diz respeito a esta matéria. Durante anos, não era muito comum ver alguém a usar fato de banho. Parecia uma peça reservada apenas a mulheres mais fortes ou, muitas vezes, a grávidas.

Felizmente para nós, a peça tem-se vindo a reinventar, surgindo em triquínis e em formas mais recortadas, tendência que se mantém atual para o verão de 2017. Este que lhe mostramos é da Ondhamar.

A moda que se usa hoje é assim tão diferente da que se usava há cinco anos?

As calças de gancho descaído eram a grande moda da altura. Continuam em voga ou já passaram à história?

Apesar da cintura se usar mais subida, penso que não se pode dizer que não se usa o gancho descaído, até porque é possível encontrar este tipo de calças em muitas das lojas de fast fashion que existem. Atualmente, a grande tendência parece-me continuar a ser o modelo cigarette.

As calças cigarette surgiram como tendência, pela primeira vez, nos anos da década de 1950. Eram usadas por ícones como [as actrizes] Marilyn Monroe e Audrey Hepburn e ainda se mantêm atuais nos dias de hoje, continuando a ser um modelo adequado a várias situações, desde as mais formais às mais casuais, que privilegiam o corpo feminino e, sobretudo, a elegância, como o modelo abaixo, da coleção primavera/verão 2017 da Zara.

A moda que se usa hoje é assim tão diferente da que se usava há cinco anos?

Veja na página seguinte: O look andrógino de há cinco anos ainda é tendência?

O look andrógino de há cinco anos ainda é tendência?

A androginia pode ser definida como o equilíbrio de características femininas e masculinas. Em moda, significa a incorporação de elementos do guarda-roupa do sexo oposto. E um pouco da atitude também… Desde muito cedo, somos formatados para pensar, em modo muito generalista, que as mulheres usam vestidos e saias e aos homens associamos calças e camisas.

Acontece que é delicioso inverter estes papéis e super sofisticado, também, na minha opinião. Há que não esquecer a proposta clean e masculina de Coco Channel, nos anos da década de 1920, assim como as calças à boca de sino dos anos da de 1970, que eram totalmente unissexo, além do movimento grunge dos anos da de 1990, que ditava o uso de jeans com uma t-shirt e uma camisa xadrez, para ambos os sexos.

Isto só para referir que o nosso estilo e guarda-roupa não deve ter restrições de género. É preciso experimentar a moda de uma forma livre e divertida, dando ouvidos às nossas vontades. E esta é uma regra a manter sempre, independentemente do que ditam as tendências.

A moda que se usa hoje é assim tão diferente da que se usava há cinco anos?

Malas ao ombro. Essa era a grande tendência há cinco anos. Passado este tempo, continuam em voga? Se sim, quais as que se vão usar mais? Se não, qual é a grande tendência a este nível?

A grande tendência são malas no ombro, na mão, no braço e a tiracolo, embora já não se usem tanto no ombro propriamente dito. Mas, assim como muitas outras coisas em moda, o seu uso deve ser democrático, logo devemos usá-las onde nos apetecer e parecer mais adequado, de acordo com o nosso look e sobretudo de acordo com o nosso mood, como é o caso desta, da Fracomina, uma mala de mão.

A moda que se usa hoje é assim tão diferente da que se usava há cinco anos?

Combinar sapatos e malas era, há semelhança de outras alturas, a regra em 2012. Continua a fazer sentido atualmente?

Não! Diria mesmo que já há muitas estações que esta é uma regra que, felizmente, foi desfeita. A tendência atual é exatamente não combinar, combinando.

Veja na página seguinte: As saias que (já não) se usam

As saias-balão regressavam em força há cinco anos. Continuam em voga? Se sim, quais as que se vão usar mais? Se não, qual é a grande tendência a este nível?

As saias-balão são peças de roupa bastante perigosas na medida em que, como o próprio nome indica, nos fazem, facilmente, parecer um balão invertido. Pessoalmente, nunca aderi e parece-me que já desapareceram do panorama das tendências. Atualmente, assistimos à invasão dos plissados, das pregas, dos folhos e das assimétricas, modelos que também não beneficiam todos os tipos de corpo.

O meu conselho, já que a mulher portuguesa é tão dada à sua zona de conforto que é o usar calças, é começar sempre pelo simples e pelo básico, uma linha A ou uma saia-tubo, mais ou menos afunilada. Por norma, tanto uma como outra, como pode ver em baixo, ambas da Zara, são sempre boas opções.

A moda que se usa hoje é assim tão diferente da que se usava há cinco anos?

A ganga nunca sai de moda mas, e quanto aos looks de ganga total, em voga há cinco anos? Continuam a ser para reproduzir?

Sim, o conceito denim mais denim continua em voga. Sendo a ganga um clássico que nunca passa de moda, a combinação de duas peças é perfeitamente aceitável e atual. Sugiro, no entanto, a combinação de elementos em tons diferentes ou com algum pormenor que as faça distinguir entre si, como sucede neste visual da Zara. Confere muito mais criatividade e movimento a qualquer look.

A moda que se usa hoje é assim tão diferente da que se usava há cinco anos?

Em 2012, numa onda revivalista, os anos da década de 1980 estavam na origem de muitos looks. Em 2017, já passaram à história?

Não. Muito pelo contrário! Os anos oitenta já são, atualmente, se é que se pode dizer, um clássico a nível de tendências. Estação após estação, vão estando presentes nas mais variadíssimas formas. Para esta primavera/verão, temos como referências para além do visível regresso do blusão de ganga em versão oversize, bem à anos oitenta, como este da Zara, assim como as t-shirts com aplicações, mensagens ou bandas desenhadas.

A moda que se usa hoje é assim tão diferente da que se usava há cinco anos?

Veja na página seguinte: O penteado que teima em não passar de moda

O pixie cut era um dos cortes de cabelo a exibir em 2012. Continua em voga em 2017? Se não, qual é a grande tendência a este nível?

«Não sei se alguma vez voltaremos a sofrer qualquer tipo de ditadura sobre o cabelo»... Li algures esta afirmação que resume muito o que se passa atualmente e o que eu penso sobre esta matéria. Esta é uma inspiração de corte, com ares masculinos, que vem dos anos da década de 1960, tendo a [modelo, cantora e atriz] Twiggy como ícone.

O pixie cut é mais indicado para quem tem cabelo liso ou levemente ondulado. Não sendo um corte para toda e qualquer mulher, fica, ainda hoje, perfeito para quem tem traços delicados, já que revela bastante o rosto.

A moda que se usa hoje é assim tão diferente da que se usava há cinco anos?

Texto: Luis Batista Gonçalves com Babi Pereira (consultora de imagem e bloguer)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.