Todos os anos, as queixas repetem-se. Mãos geladas, pés húmidos, nariz a pingar, bochechas vermelhas e lábios a escamar. O inverno representa uma série de agressões para a pele, seja por causa dos fenómenos meteorológicos exteriores, seja pelos gestos que adoptamos no dia a dia. Se a pele for seca ou sensível, o problema é agravado e, para além, do aspecto estético, surge por vezes a fragilização da saúde. Mas, este ano não tem de ser assim. Com a ajuda do dermatologista Jorge Rozeira, a saber viver revela-lhe as  melhores estratégias para enfrentar esta estação.

O vento e o frio são os principais agressores da pele no inverno. As baixas temperaturas levam a que as células, responsáveis pela produção de gordura, diminuam sua atividade. A explicação reside no facto de o frio ter «uma acção vasoconstritora, o que, na prática, significa que para assegurar a temperatura junto aos órgãos vitais, outras partes do corpo são negligenciadas», explica o dermatologista. Assim, se o sangue circula com limitações nessas áreas, há também um menor aporte de nutrientes».

«Se, a isso, juntarmos os banhos a temperaturas elevadas e as roupas de lã, o resultado é uma pele fragilizada. Além disso, o aquecimento central, o ar condicionado, a lareira e até a exposição solar, potenciam a desidratação», acrescenta Jorge Rozeira. É, por isso, fundamental que, tal como no verão, continue a ingerir entre um litro e meio a dois litros de água por dia. Se tiver dificuldade, aproveite para beber chás e infusões quentes e também sopas de legumes.

Dolorosas frieiras

São consequência da má circulação sanguínea nas extremidades, sendo mais frequentes nas mãos, pés, nariz e orelhas, as áreas mais expostas ao frio. Embora se trate de uma reacção anormal às baixas temperaturas, são relativamente frequentes, afectando principalmente mulheres e idosos. Os cuidados preventivos são a melhor estratégia para evitar as queixas, sendo que proteger a pele do frio com roupa apropriada, evitar lavar excessivamente as mãos e manter uma temperatura corporal uniforme são os métodos mais eficazes. Luvas, gorro e cachecol, de preferência de materiais naturais, devem estar presentes no dia a dia. Uma atividade física moderada também pode ser útil, pois ativa a circulação.

Lábios gretados

Como reação à secura que o frio e o vento provocam, temos tendência para passar a língua pelos lábios para humedecê-los. Este gesto, aparentemente inocente, tem o efeito contrário ao desejado, já que ao arrefecer os lábios, a ação do vento e do frio será ainda mais agressiva, gerando um ciclo vicioso que termina, muitas vezes, em cieiro. De modo a evitar esta inf lamação da pele, o ideal é proteger os lábios usando diariamente um bálsamo com propriedades calmantes e reparadoras. Um truque que confere uma ajuda extra à reparação da pele é aplicar uma camada generosa de produto antes de dormir.

Vermelho reativo

As pessoas que têm a pele sensível vêem o seu problema agravado com o inverno. A exposição ao frio e, principalmente, a deslocação entre ambientes com temperaturas diferentes leva a pele a reagir, acentuando-se a vascularização. Maçãs do rosto e nariz são as zonas mais atingidas pela vermelhidão, que se traduz também numa maior sensibilização da área afetada, com escamação, prurido e até ferida. Nesta situação, para além de proteger a pele do rosto com um cachecol, por exemplo, deve optar por cosméticos específicos para esta época do ano que ajudam a reforçar a hidratação.

Veja na página seguinte: A proteção especial que as rotinas de beleza garantem

A proteção especial que as rotinas de beleza garantem

Sensibilizadas para os efeitos negativos do sol, muitas pessoas esquecem-se que, no inverno, os cuidados com a pele também devem ser constantes. A rotina diária de limpeza, tonificação e hidratação deve ser mantida e até reforçada. Mudar de produtos para gamas apropriadas para o Inverno é uma opção a ter em conta, nomeadamente considerando que, como esclarece Jorge Rozeira, «as pessoas de pele seca vêem a sua secura agravada e as de pele oleosa assistem a um aumento da gordura». Na prática, isto significa, por exemplo, que «os cosméticos devem ser mais ricos em substâncias hidratantes (cremes em vez de loções) e com maior capacidade de penetração (tendo sempre em consideração o tipo de pele)» aconselha o especialista.

Maquilhagem de inverno

Embora sejam cada vez mais as inovações que permitem que o uso de maquilhagem não prejudique o equilíbrio da pele, não deixa de ser um facto que este gesto de beleza diário afecta a estrutura da epiderme (camada superficial da pele). Não é por acaso que uma das regras de ouro para a saúde cutânea é desmaquilhar sempre o rosto antes de ir dormir. Para evitar a desagradável sensação de pele a puxar, o dermatologista recomenda «a troca dos produtos habituais por texturas em creme, que afetam menos a camada lipídica da pele». Aplicada sobre o rosto hidratado, a maquilhagem pode ser uma aliada nesta época ao disfarçar a vermelhidão. Pelo contrário, alguns tons de sombras, como os avermelhados ou lilases, devem ser evitados quando se está constipada.

Hidratação total

Para além da hidratação exterior, é essencial assegurar que mantém as reservas hídricas do organismo. Assim, deve consumir cerca de um litro e meio a dois litros de água por dia e fazer uma alimentação variada e equilibrada. Verduras e fruta devem constar do menu diário e, pelo contrário, alimentos ricos em gordura consumidos esporadicamente. Relativamente ao vestuário, Jorge Rozeira defende «o uso de roupa de inverno (lã e peles em detrimento no topo da lista) sem ser colocado sobre a pele, mas antes com a interposição de vestuário de algodão». Se praticar uma atividade física, lembre-se que deve proteger bem a pele com roupa apropriada e, depois, reforçar a hidratação.

5 gestos que preparam a pele para o inverno

1. Banho
Opte por tomar duche com água morna e limite a duração para cinco minutos.

2. Hidratação
Após o banho, aplique um creme hidratante corporal (em vez de loção) para que a pele fique suave e nutrida. Prefira cosméticos específicos e à
base de água.

3. Esfoliação
Semanalmente, esfolie a pele com uma esponja suave ou um produto à base de retinol, que estimula a sua renovação.

4. Proteção solar
No inverno, por mais que possa pensar que não, o sol queima tanto como no verão. Use diariamente protetor solar nas zonas mais expostas ao exterior.

5. Vestuário
Prefira roupa de algodão. Em contacto com a pele, a lã e outros tecidos agridem-na. No entanto, se no seu dia a dia tem de andar muito ou se tem uma vida agitada que o obrigue a transpirar, evite este material, pois em caso de transpiração este absorve a humidade e arrefece o organismo.

Texto: Sandra Diogo com Jorge Rozeira (dermatologista)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.