Estamos permanentemente sujeitos a situações que prejudicam a saúde da derme. O sol, o vento, a poluição atmosférica, o fumo do tabaco, a alimentação desregrada, a falta de sono... São muitas as ameaças! Muitas estão na origem da acne, do vitiligo e da couperose... Seja qual for o problema da sua pele, a maquilhagem pode ser uma aliada, desde que saiba escolhê-la e usá-la. Ana Filipa Duarte, dermatologista, diz-lhe como deve proceder consoante o seu tipo de tez.

Pele acneica

Pontos negros e brancos, pústulas, nódulos e inestéticos quistos caracterizam este tipo de pele que se revela oleosa e gordurosa. A maquilhagem pode ser fator de agravamento da acne e, por vezes, mesmo a sua causa, se estiverem em causa produtos com excesso de gordura ou componentes comedogénicos. Esse é o tipo de acne designado por acne cosmético.

Qualquer pessoa com tendência para acne ou sob tratamento deve ter particular atenção ao selecionar os produtos de maquilhagem, sobretudo a base que deverá ser sempre oil free. O creme a aplicar antes da base e o protetor solar também deverão ter as mesmas características oil free.

Guerra à acne. Os conselhos de um dermatologista
Guerra à acne. Os conselhos de um dermatologista
Ver artigo

Se as lesões são demasiado inflamatórias (pele vermelha com borbulhas inflamadas habitualmente) os cuidados devem restringir-se à higiene suave da pele bem como à aplicação de cremes calmantes e tópicos dermatológicos antiacneicos, com ou sem antibióticos associado.

Qualquer outro tipo de procedimento poderá agravar/irritar a pele. Ao desmaquilhar utilize produtos que ajudem a eliminar a gordura da pele.

A pele da face não é toda igual. Um produto mais agressivo e desengordurante como um gel poderá ser tolerado na zona T seborreica (testa, nariz e queixo) mas irritar/inflamar zonas de pele mais sensível como a zona periocular, onde um leite ou água de limpeza serão melhor tolerados. Por vezes, é necessário utilizar um produto adequado a cada zona do rosto.

Pele com vitiligo

O vitiligo caracteriza-se por mancha branca, completamente despigmentada e pode localizar-se em qualquer zona do tegumento cutâneo. A origem desta doença não está totalmente esclarecida, mas sabe-se que processos autoimunes e de stress oxidativo estão muitas vezes associados. O uso correto da maquilhagem ajuda a disfarçar eficazmente os seus efeitos.

No vitiligo, os produtos de maquilhagem são usados essencialmente como forma de camuflar a patologia. Se a pele não for oleosa, poderá tolerar produtos mais espessos que disfarçam melhor e permanecem mais tempo. "É fundamental não fazer massagens vigorosas nem utilizar produtos agressivos", adverte Ana Filipa Duarte, dermatologista.

"Poderão originar alargamento de lesões ou aparecimento de novas de lesões, o chamado fenómeno isomórfico de Koebner. Por vezes, também se utilizam produtos com auto bronzeador, como a dihidroxiacetona, que podem permanecer até uma semana ou um pouco mais, até que toda a camada córnea se renove", esclarece a especialista.

Pele seca

Apresenta-se sob a forma de descamação pouco aderente e geralmente sem inflamação. No entanto, neste tipo de pele existe uma fragilidade da barreira cutânea, o que a suscetibiliza para infeções e eczema. A preparação da pele para a aplicação dos produtos de maquilhagem é fundamental. Antes de aplicar qualquer produto de maquilhagem é fundamental aplicar produtos hidratantes, preferindo cremes a emulsões.

Também a base de maquilhagem deverá ter uma fase oleosa mais abundante, para conferir conforto. É fundamental não confundir pele seca com pele seborreica, que se manifesta por escamas mais aderentes geralmente nos sulcos do nariz e entre as sobrancelhas, o que se agrava com a aplicação de cremes e cosméticos mais oleosos e hidratantes.

Ao contrário da pele oleosa não devem ser utilizados produtos oil free. Evite maquilhar-se caso a pele apresente inflamação/eczema. O produto desmaquilhante a utilizar não deve remover a gordura da pele. Prefira cremes e leites a gel ou soluções.

Pele com rosácea/couperose

É uma pele com vermelhidão, sobretudo no nariz e bochechas, reativa e geralmente muito sensível. Inicialmente pode manifestar-se apenas com flushing (ficar ruborizado em situações de stress ou mudanças bruscas de temperatura), mas o eritema progressivamente torna-se fixo e surgem dilatações vasculares e, por vezes, lesões inflamatórias e mesmo granulomas. Escolhida e aplicada corretamente, a maquilhagem é um aliado.

Os produtos de maquilhagem devem ser suaves, de preferência com propriedades anti-inflamatórias e anti-vermelhidão. As fragrâncias e perfumes devem ser evitados, sendo preferível produtos com composição simples e hipoalergénicos. A utilização de protetor solar 50 + durante todo o ano, com reaplicação ao longo do dia, em dias com maior índice UV é recomendada como medida de prevenção de agravamento.

A utilização de protetor solar 50 + durante todo o ano, com reaplicação ao longo do dia, em dias com maior índice UV é recomendada como medida de prevenção de agravamento. Para uma camuflagem mais eficaz, podem usar-se produtos de maquilhagem com pigmentação verde que neutralizam a vermelhidão, seguidos da aplicação de base fluida ou compacta. Evite produtos agressivos, que poderão agravar a inflamação/eritema.

Evite maquilhar-se sempre que a pele esteja inflamada. Numa rosácea inflamatória é importante a observação pelo dermatologista pela intensidade da situação em que, muitas vezes, se exige medicação sistémica à base de antibióticos e/ou antiseborreicos. Para desmaquilhar, utilize um produto suave, como uma loção ou água de composição simples, que permita acalmar a pele.

Os cuidados a ter na hora de remover a maquilhagem

Nunca se esqueça de se desmaquilhar. Em casos de pele sensível, reativa ou com tendência oleosa, a permanência de resíduos da maquilhagem poderá mesmo agravar a doença de base. Mas, mesmo que não sofra de qualquer desses problemas, deve ser retirar a maquilhagem ao final do dia. Eis as regras base que deve seguir:

- Utilize água e produtos de base lavante suaves. Poderão envolver enxaguamento (gel ou syndet) ou não (leite ou água de limpeza, que implicam o uso de disco de algodão).

- O desmaquilhante deve ser adequado ao tipo de pele, bem como à preferência de utilização (com ou sem enxaguamento). Existem no mercado produtos para todos os tipos de pele, com diferentes formas galénicas.

- O principal cuidado é certificar-se de que a pele ficou bem limpa e confortável, sem a sensação de agressão.

- Existem toalhitas que poderão ser suficientes para uma limpeza eficaz, mas, por vezes, contêm ativos agressivos, que poderão ser removidos com um simples passar por água.

Texto: Nazaré Tocha com Ana Filipa Duarte (dermatologista e membro da Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.