É verdade que a genética tem uma palavra a dizer relativamente ao aspeto da nossa pele, mas mantê-la jovem e mais saudável também está na nossa mão.

Falámos com o dermatologista David Serra e com a maquilhadora Inês Varandas e pedimos-lhe que nos dissessem quais os erros que cometemos com mais frequência no nosso ritual de beleza e como podemos corrigi-los rapidamente.

1. Ter receio de usar retinoides

São um dos ingredientes com maior eficácia antienvelhecimento cientificamente comprovada, «provavelmente os mais eficazes», realça David Serra. Além disso, «atualmente, existem fórmulas adaptadas e melhor toleradas pela pele sensível», diz o dermatologista. Basta uma pequena quantidade aplicada em todo o rosto para acelerar a renovação celular. «Comece a aplicar em dias alternados até aumentar o grau de tolerância», ensina David Serra.

2. Usar cosméticos inadequados

«Um produto mal escolhido pode prejudicar a saúde da pele, originando ou agravando doenças cutâneas (acne, rosácea, eczema, manchas, dermatite seborreica, pele atópica, entre outros)», afirma o dermatologista. Além disso, é importante não esquecer que «a pele muda ao longo da vida», acrescenta. Independentemente de ter pele seca, oleosa ou mista, procure fórmulas sempre adaptadas às suas necessidades atuais.

3. Usar produtos à hora errada

De acordo com o dermatologista, «alguns cosméticos antienvelhecimento só devem ser usados à noite, já que muitos perdem a sua eficácia com a luz solar ou provocam reações adversas. durante o dia, aposte na proteção solar». «Use antioxidantes de manhã para proteger a pele durante o dia e deixe para a noite os esfoliantes (como glicol e alfahidroxiácidos) e estimuladores do colagénio (como retinoides) para remover células mortas e acelerar a sua renovação», explica David Serra.

4. Ser viciada em cosméticos sem ter em conta o seu tipo de pele

Para o dermatologista, «estar sempre a mudar e a experimentar traz
dois grandes problemas. Primeiro, ao substituir frequentemente os
produtos não chega a tirar partido dos seus ingredientes ativos.
Segundo, ao expor a pele a tantos ingredientes diferentes, o risco de
efeitos colaterais dispara».

Opte pelas substâncias com resultados
comprovados, nomeadamente, alfahidroxiácidos, retinoides e péptidos para as rugas. O
ácido salicílico resulta na acne, e a vitamina K ajuda a diminuir as
olheiras.

5. Não usar proteção todos os dias

A exposição solar é o principal fator de envelhecimento cutâneo.
«Os raios ultravioletas emitidos pelo sol provocam alterações no ADN das
células e algumas ficam danificadas. À medida que os anos passam e
estas aumentam, a produção de componentes essenciais para a estrutura da
pele, como o colagénio e a elastina, vai sendo afetada, levando à perda
de firmeza, elasticidade e rugas», explica o dermatologista. Aplique
protetor solar todos os dias. O ideal, como refere David Serra, «é
aplicá-lo logo de manhã, para criar uma rotina. pode usá-lo antes ou
depois do creme de dia e ambos devem ser compatíveis, isto é, não formar
grumos».

6. Não usar cosméticos antienvelhecimento

«Se
antecipar as mudanças na sua pele consegue prevenir rugas profundas
antes que estas se instalem», realça o dermatologista. «A prevenção é a
melhor arma contra o envelhecimento. Seja pró-ativa, não espere pelos
estragos, assim os resultados são os melhores, diz David Serra. «Comece a usar um sérum antienvelhecimento nas zonas mais em
perigo», recomenda ainda o especialista.

7. Tratar a acne adulta como a adolescente

Os produtos para adolescentes secam demasiado a pele adulta, o que
pode ter o efeito reflexo de aumento da produção de óleo e consequente
aumento da acne. «É preciso não esquecer que a acne adolescente e a
acne adulta têm diferentes causas. na mulher adulta, são determinantes o
papel do stress, as variações hormonais, a crescente sensibilidade da
pele e o uso de cosméticos mal adaptados», esclarece o especialista. «Esteja atenta aos cosméticos que utiliza, é provável que algum esteja a
contribuir para o problema, e use produtos específicos para acne
adulta», aconselha David Serra.

8.  O efeito negativo do tabaco

Cada vez mais mulheres
adultas fumam, desconhecendo o efeito perverso que tem sobre a sua pele, nomeadamente rugas e flacidez precoces e falta de luminosidade. «A pele das
fumadoras envelhece mais rapidamente e o gesto de fumar também prejudica
muito os lábios, que perdem a sua cor e o seu volume. A contração
muscular repetida origina rugas profundas muito típicas, em código de
barras à volta da boca, mas não só», explica David Serra. O
dermatologista refere ainda que «a pele das fumadoras precisa de
cuidados redobrados e os antioxidantes podem ser uma boa ajuda. a
vitamina C é particularmente interessante, porque além de antioxidante, também melhora a luminosidade da pele».

9. Escolher a base errada

«As bases demasiado espessas formam uma máscara densa que retira o
brilho natural à pele, dando-lhe um ar mais envelhecido», explica a
maquilhadora Inês Varandas. «Além disso, como a pele se torna mais seca a
partir dos 35/40 anos, quanto mais espessa é a fórmula mais depressa
se parte e torna as rugas mais visíveis», sugere.

Use uma base o mais fluida
possível, para uniformizar o tom da pele. «Não tente esconder tudo mas
apenas uniformizar», recomenda a maquilhadora.

10. Usar um batom demasiado escuro

«Os lábios ficam menos carnudos com o passar dos anos e as cores mais escuras fazem-nos parecer ainda mais finos», justifica
Inês Varandas. «Use um tom mais suave com um pouco de brilho», sugere a
maquilhadora. Mas, se não prescinde do seu encarnado escuro,
experimente uma «fórmula com acabamento mais acetinado para dar mais
volume» ou complemente o seu batom com um  gloss. «Aplique um pouco no
centro dos lábios para adicionar volume», aconselha.

11. Usar lápis de olhos em todo o contorno ocular

Se só fizer o contorno com lápis, sem aplicar sombras, faz com que
os olhos pareçam mais pequenos. Além disso, «quando não matifica a zona
junto às pestanas inferiores, o lápis derrete e passa para baixo,
acentuando olheiras e papos», alerta a maquilhadora. Se não usar
sombras, aplique o lápis apenas Inês Varandas recomenda usar um tom
castanho, em vez do se tem jeito para se maquilhar, faça uma maquilhagem
smokey eyes (esfumado), «que torna o olho maior», sublinha.

12. Usar blush muito berrante

À medida que envelhecemos, a pele vai perdendo a sua frescura,
tornando-se mais baça. Usar um blush de cor forte só piora o problema,
pois «dá um ar carregado e tira o brilho natural da pele», alerta Inês
Varandas. Experimente um rosa suave se tem pele clara ou pêssego, se
for morena. Inês Varandas recomenda usar uma fórmula em creme, que dá
brilho natural à pele ou, se preferir em pó, escolha um tom irisado (com
brilho dourado).

Texto: Fernanda Soares e Madalena Alçada Batista com David Serra (dermatologista) e Inês Varandas (maquilhadora)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.