O problema não está nos cabeleireiros. Muitas das vezes, está nos clientes, que não conseguem exprimir com exatidão aquilo que pretendem ou que idealizaram. Para evitar que da próxima vez saia do cabeleireiro com o cabelo demasiado curto ou mais comprido do que pretendia e/ou com uma tonalidade que não é bem aquela que esperava, estas são algumas das recomendações que deve seguir aquando da sua próxima ida:

- Quando falar de comprimento, demonstre-o. Pedir para lhe cortar dois dedos de cabelo, como muitas pessoas fazem, não é de todo uma boa indicação. Coloque os dedos em forma de tesoura precisamente onde quer que o corte seja feito e sinta-se à vontade para dizer «Não mais que isto, por favor».

- Faça previamente o trabalho de casa. Procure em revistas imagens do penteado que pretende e leve-as para o salão, de forma a tornar mais explícito aquilo que quer. Nesse caso, peça conselhos ao especialista. Pergunte ao seu cabeleireiro se ele acha que o seu cabelo vai ficar parecido com o da revista. Faça-lhe também perguntas como «Quanto tempo vou demorar a fazer este penteado de manhã?» ou «Qual a cor que me fica melhor?».

- Não tenha problemas em assumir, com frontalidade, o que lhe vai na alma. Se, apesar de tudo, o resultado final não a satisfizer, diga-o. É preferível ferir um pouco a autoestima do cabeleireiro do que andar com um look que não é exatamente aquele que pretendia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.