Desenvolvida no Japão, esta técnica, que transforma os cabelos frisados, ondulados e encaracolados em cabelos lisos e brilhantes, já existe há vários anos nos Estados Unidos e no Brasil, começando agora a ser difundida na Europa e no resto do mundo.

Ao longo do tempo, as mulheres procuraram os mais variados métodos para conseguirem ter um cabelo brilhante, sedoso, macio, liso... Nos anos 60 e 70 do século XX, muitas mulheres chegavam a passar o cabelo a ferro para o conseguirem alisar. Nos anos oitenta, com a invenção do secador começou-se a recorrer ao "brushing".

No entanto, com a investigação e a tecnologia cada vez mais desenvolvidas, começaram a aparecer recentemente técnicas inovadoras de alisamento capilar, sendo uma delas inspirada nos cabelos orientais:

Alisamento Térmico Japonês, que consegue objectivos que nenhuma outra técnica já conhecida consegue obter. Garante um efeito liso mais duradouro (cerca de seis meses), com brilho, resistente ao sol e à chuva. Mas melhor do que tudo isto, melhora o estado do cabelo, tornando-o macio e brilhante.

A técnica profissional
O cabeleireiro está e quer estar sempre actualizado sobre novas técnicas e esta vem beneficiar o cabelo na sua qualidade, no seu aspecto e na sua manutenção.

De uso exclusivamente profissional, pois requer formação apropriada apenas acessível aos profissionais de cabelo, este processo baseia-se na acção de um desestruturante activo com três forças distintas: potenciais específicos para diferentes tipos de cabelo.

A queratina (proteína que compõe 90% da fibra capilar) líquida é um dos mais importantes componentes deste sistema e é utilizada em várias etapas do processo, ela repõe as perdas naturais e recondiciona os fios de cabelo, tratando internamente o cabelo.

Saiba mais na próxima página

Depois de transformado, o cabelo recebe calor para fixar a forma lisa, neste processo utiliza-se uma prancha específica, com resistência de cerâmica que permite uma melhor distribuição do calor ao longo da parte metálica.

O cabelo tratado com esta técnica é modificado na sua estrutura interna e até externa e por esse motivo, tornar-se-á liso, sem que a humidade ou outros factores externos o voltem a ondular ou frisar.

Análise prévia
Antes de se relaizar esta técnica o profissional deve realizar uma análise prévia ao cabelo, para verificar as condições em que este se encontra e se é ou não possível receber esta técnica. Nesta fase o cabeleireiro terá que verificar se há irritações, queimaduras ou lesões no couro cabeludo, caspa, assim como a porosidade, densidade e textura dos fios capilares.

Esta técnica pode ser usada em cabelos com volume, crespos, muito crespos e em cabelos com coloração e descolorados. Nestes casos utililiza-se um protector de mechas desenvolvido especificamente para ser aplicado em fios sensibilizados pela acção da descoloração ou outro tipo de transformação.

O protector evita que o activo entre em contacto directo com a fibra capilar nas áreas danificadas. O alisante é aplicado nessas áreas apenas próximo ao momento da lavagem, para que permaneça pouco tempo no cabelo.

Cuidados após a aplicação
Após o alisamento, é necessário ficar três dias sem lavar os cabelos para fazer a reposição da oleosidade natural que tem a função de proteger o cabelo e o couro cabeludo. Para além disso, não se deve prender o cabelo, seja com ganchos ou elásticos e não se deve colocar o cabelo atrás das orelhas.

Saiba mais na próxima página

Penteados possíveis
Para voltar a frisar o cabelo necessitará de uma texturização, ondulação ou muito simplesmente uma secagem com rolos ou escova, mas, neste caso, perderá todo esse penteado quando voltar a lavar o cabelo, que nesse momento é liso.

Para voltar ao original pode-se simplesmente deixar crescer o cabelo, uma vez que o que cresceu e não foi alisado, terá naturalmente o mesmo aspecto que anteriormente. Se se continuar a desejar ter cabelo liso, terá que se submeter a este processo a cada 4 a 6 meses.

Como é aplicada esta técnica:
1. Os cabelos são lavados com o pré-champô
2. Após enxaguar, aplica-se um creme que age durante mais ou menos 15 minutos
É retirado o excesso de água com a toalha
3. É aplicada queratina líquida em toda a extensão do cabelo, sem enxaguar
4. Seca-se o cabelo com secador a uma temperatura de cerca de 40º C
5. Coloca-se um produto para protecção do couro cabeludo, testa, e orelhas
6. Se o cabelo estiver muito sensibilizado, utiliza-se o creme protector de mechas
7. Aplica-se o desestruturante conforme o tipo de cabelo
8. Depois de actuar passa-se por água durante cerca de 20 minutos
9. Mergulha-se o cabelo em queratina líquida durante 5 minutos e passa-se por água
10. Coloca-se o creme de tratamento
11. Aplica-se o reestruturador e retira-se o excesso com secador e com o difusor, 80% da humidade
12. Coloca-se um finalizador anti-humidade
13. Passa-se a prancha em todo o cabelo
14. Aplica-se o neutralizante e deixa-se actuar 20 minutos
15. Passa-se por água e aplica-se o champô e o creme de queratina e deixa-se actuar 5 minutos.
16. Passa-se por água. Aplica-se o restruturador, tira-se o excesso e passa-se com a prancha.

Agradecimentos: MC Paz (Misuke); Zotos (Quantum)
Fotografia: Dior

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.