"O coração tem razões que a própria razão desconhece", já dizia o filósofo e físico francês Blaise Pascal, em pleno século XVII. "Quem feio ama, bonito lhe parece", diz também um ditado popular português. Na verdade, no que à atração diz respeito, há mais dúvidas do que certezas. Até a antropóloga Helen Fisher, que se tem dedicado a estudar este tema, não consegue identificar fielmente a razão pela qual nos apaixonamos por determinada pessoa em detrimento de outra.

Há quem se sinta atraído pela aparência física, há quem prefira o status ou a personalidade, mas a última tendência são os sapiossexuais, pessoas para quem uma boa conversa é a melhor forma de sedução e o maior estímulo sexual. Para estes, a mente está no centro de tudo e é esta que desperta o desejo sexual, embora isso não signifique que não olhem também para a parte física ou para a personalidade. Contudo, é a capacidade do parceiro em usar a mente que mais os atrai.

O poder da sedução mental

Se pensarmos bem, este tipo de atração sempre aconteceu, mas só recentemente se etiquetou com um nome. A palavra tem origem na junção das palavras sapiens (sábio) e sexual, e confirma o que os psicólogos e sociólogos dizem há já vários anos, que a inteligência ajuda a criar aquela cumplicidade que torna única uma relação e que a componente cognitiva e intelectual tem um papel fundamental também no sexo.

A sedução mental transforma-se num pensamento erótico se o parceiro for intelectualmente estimulante. Nestes casos, os preliminares para uma relação sexual são conversas interessantes, discussões acesas sobre um tema ou até filosóficas. O sapiossexual sente-se estimulado pela maneira de pensar do outro e acha a inteligência a característica mais atraente do parceiro. Procura a novidade, novas experiências e foge do que é supérfluo.

As conversas podem-se converter em jogos sexuais envoltos em surpresas, pois o cérebro é o órgão sexual mais importante, ficando mesmo à frente dos órgãos genitais e da pele. De acordo com a opinião da maioria dos sexólogos, as mulheres têm mais tendência para serem sapiossexuais do que os homens. Isto porque, para o sexo masculino, a visão é o maior estímulo, enquanto o sexo feminino precisa de outros estímulos, e a inteligência é um deles.

O (breve) retrato de um sapiossexual:

- Sente-se atraído sexualmente pela inteligência

- São seduzidos por conversas complexas e que fujam da superficialidade

- Está aberto a novas experiências e quer aprender

- Procuram segurança nos relacionamentos e pensam que as pessoas mais inteligentes são mais propícias a isso

Texto: Rita Caetano

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.