Muitos pais não descansam enquanto os filhos não terminam a aula de surf ou saem da piscina depois da natação. Só então respiram fundo e deixam de estar de prevenção como nadadores salva-vidas temporários. No entanto, sabia que o afogamento pode acontecer várias horas depois de uma pessoa sair de dentro de água? É verdade.

O chamado afogamento seco nada tem a ver com areia ou com calor, mas sim com água. Trata-se de um afogamento com fluídos nos pulmões que acontece não durante a submersão na água, mas até 24 horas depois. O afogamento designa-se por seco porque acontece já fora da água.

O que é afogamento seco?

Há duas maneiras de sofrer um afogamento seco: o primeiro é quando algum líquido é sugado para dentro dos pulmões, o que provoca asfixia. A segunda acontece quando as causas são paralisia muscular, apneia, a exposição prolongada a um gás tóxico e outras razões. A verdade é que não é um afogamento seco literalmente.

Sinais nas crianças

Uma vez que é mais comum em crianças do que em adultos, há uma série de sinais que podem ser reconhecidos depois de um banho ou de excessiva ingestão de água por uma criança. Se tiver dificuldade em respirar, cansaço, sonolência, tosse, falta de atenção ou dificuldade em pronunciar palavras, recomenda-se que procure um médico para identificar se está perante a possibilidade de um afogamento seco. O mais assustador neste tipo de afogamento é ele poder ocorrer 24 horas depois de se estar dentro de água. Pode acontecer, até, enquanto a criança dorme. A água nos pulmões pode induzir o vómito, seguido de asfixia. A prevenção é a chave e a regra de ouro nunca deixar uma criança sem vigilância.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.