Investigadores da Universidade de Montreal, no Canadá, analisaram dados de 219,319 bebés e a relação entre o nascimento e a temperatura que se fazia sentir na altura do parto, e descobriram que as ondas de calor (com temperaturas acima dos 32 graus) foram associados a 27% de risco de um parto precoce em comparação com temperaturas mais amenas.

Ou seja, mulheres grávidas expostas a calor extremo eram mais propensas a entrar em trabalho de parto entre as 37 e as 38 semanas, em vez das habituais 40 semanas.

"A gravidez torna-se fisicamente mais desafiante à medida que se aproxima do final", revela Nathalie Auger, investigador da Universidade do departamento de medicina social e preventiva de Montreal e autor do estudo.

E acrescenta: "Stress físico, como o calor, tem um impacto maior às 37 ou 38 semanas, do que no início da gravidez".

Por isso, é recomendável que a grávida durante o verão se mantenha hidratada, prefira as sombras e ar condicionado. Nunca permita chegar ao ponto de sentir sede, um sinal de desidratação que também pode induzir o parto.

Veja as nossas Dicas para uma gravidez confortável no verão

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.