O site Internet Segura vai ter uma versão mais interativa e com mais funcionalidades, melhorando o alerta para os riscos associados às novas tecnologias, à navegação na net, aos blogs ou às redes sociais.
Para o gestor do projeto na Fundação para a Ciência a Tecnologia (FCT), o 'Internet Segura', que inclui as linhas Alerta e Ajuda, além de ter uma presença no Facebook e desenvolver campanhas de informação pelo país, tem contribuído para um "excelente trabalho" desenvolvido em Portugal, que é "um país cada vez mais seguro" nesta área.
"É um website novo, tem uma nova imagem, está organizado de uma forma relativamente diferente, vai ter mais funcionalidades" e passa a contemplar a possibilidade de apresentar estudos e estatíticas sobre segurança online, disse hoje à agência Lusa Nuno Moreira.
Os visitantes poderão igualmente testar os seus conhecimentos sobre internet e comportamentos seguros na navegação, por grupos específicos, por exemplo, por escalão etário, ou por interesses específicos, como os pais ou os professores.
"Informamos e alertamos para todo o tipo de perigos que há, associados a cada uma das tecnologias", referiu Nuno Moreira, que falou à Lusa a propósito da navegação na internet em termos genéricos, realçando elementos específicos como os blogs, telemóveis, redes sociais ou 'chats'. Entre os problemas mais comuns apontou o esquecimento na verificação das definições de privacidade no Facebook e até no fecho/encerramento do perfil, a importância de se constatar se o antivírus está ativo e de não clicar em emails com links que suscitem dúvidas pois podem conter um tipo de vírus que se multiplica por replicação.
O objetivo do Centro Internet Segura, projeto coordenado pela FCT, em parceria com entidades como a Direção Geral da Educação ou a Microsoft Portugal, é dar a conhecer os riscos da utilização da internet e propor comportamentos adequados. A nova versão, que será lançada quarta-feira, reforça "o papel do website, que é dar guias específicas de ação para nunca termos problemas na internet e evitarmos os riscos que existem", salientou o responsável. O projeto Internet Segura inclui a Linha Alerta, que "já está estabilizada" e inclui um website onde podem ser denunciadas situações como sites com conteúdos de pornografia infantil, de incitação ao racismo ou à xenofobia, casos que são canalizados para a Polícia Judiciária.
Quanto à Linha Ajuda, tem um ano e "está em crescimento”. Contudo, sublinhou o responsável, “os portugueses não procuram tanto [este tipo de apoio] como poderiam procurar ou como acontece noutros países". Foi também criada uma mascote para uma campanha nacional - a INES (Internet Navegável em Segurança) -, um email criado para receber mensagens dos "mais envergonhados", que têm dificuldade em falar com alguém sobre os seus problemas e dúvidas sobre a internet. O slogan é "Pergunte à INES".
No entanto, "Portugal tem-se tornado um país cada vez mais seguro e a Linha Alerta tem feito um trabalho excelente", salientou o responsável, apontando as ações realizadas junto das escolas, um meio privilegiado de chegar aos mais jovens, grandes adeptos das novas tecnologias.
Fonte: Lusa
17 de setembro de 2012

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.