Hoje, a comissão de Assuntos Constitucionais tinha na agenda a discussão de pareceres sobre estes diplomas, mas constatou-se que seria desnecessário fazê-lo, dado que os agendamentos em plenário estão fechados até ao fim dos trabalhos parlamentares, em 19 de julho.

Regimentalmente, os diplomas que não são aprovados em votação final global durante uma legislatura caducam e têm de ser reapresentados pelos grupos parlamentares.

O quarto projeto de lei que vai caducar é do deputado não inscrito Paulo Trigo Pereira (ex-PS) e visava regular o funcionamento e financiamento de associação e fundações de direito privado associadas aos partidos políticos.

Luís Marques Guedes, deputado do PSD, alertou que a discussão sobre estes projetos seria desnecessária dado que a conferência de líderes “já fechou os agendamentos”, e “os diplomas vão caducar”.

Nenhum das bancadas com projetos nesta questão, PS e CDS, se pronunciaram. O PAN, também com uma iniciativa, não tinha representante na comissão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.