A AVG Technologies tem realizado vários estudos intitulados AVG Digital Diaries, onde analisam de que forma a tecnologia tem afetado a vida familiar ao longos dos anos.

O primeiro foi realizado em 2010, tendo em conta dados de 10 países com o objetivo de perceber qual a relação das crianças com a tecnologia e como os pais enfrentam esse novo desafio. Nesse ano, o estudo concluiu que a identidade digital de uma criança começava aos seis meses de idade.

Em 2014, um terço dos pais partilhava fotos das ecografias online o que revela que a identidade digital da criança começava ainda mais cedo do que no estudo anterior. Também concluiram que crianças entre os 3 e os 5 anos de idade mostravam ter sinais de maior confiança em lidar com a tecnologia do que aprenderem uma atividade física, como natação ou até mesmo o simples ato de atar os sapatos.

Em 2015, o estudo analisou 6 mil famílias com crianças entre os 8 e os 13 anos de idade, e focou-se essencialmente em como os smartphones estão a influenciar a relação entre pais e filhos.

Os resultados indicam que os pais têm consciência de que andamos todos a passar demasiado tempo com os smartphones, tendo em conta estes números:

- 54% das crianças consideram que os pais vão ao telemóvel demasiadas vezes por dia.
- 32% das crianças consideram que não é importante que os pais se distraiam com o telemóvel.

- 52% concorda que vão ao telemóvel demasiadas vezes durante o dia
- 28% considera que a forma como usam o telemóvel não é um bom exemplo
- 25% dos pais deseja que os filhos usem menos aparelhos eletrónicos

Os resultados do estudo tendo em conta a idade das crianças e como se relacionam com a tecnologia em cada etapa da sua vida:

Entre os 0 e os 2 anos:
- Fotos de recém-nascidos são as mais partilhadas nas redes sociais, com 30% dos posts publicados.
- Oito por cento dos pais confessaram ter criado contas de email aos seus filhos ainda bebés.

Dos 3 aos 5 anos:
- 66% das crianças sabem jogar no computador, mas apenas 14% sabe atar os sapatos.
- 57% sabem usar pelo menos uma aplicação, mas apenas 25% sabe o que fazer em caso de emergência.
- Estados Unidos, Reino Unido, Brasil e República Checa são os países que apresentam uma maior capacidade e desenvolvimento em lidar com a tecnologia.

Entre os 6 e os 9 anos:
- 89% das crianças já usam a internet.
- 7% das crianças passam mais de 10 horas em frente a um aparelho eletrónico, sendo que a maior parte dispende entre 0 a 5 horas ligada à internet.

Tony Anscombe, da AVG Technologies, afirma: "Os pais não podem ser complacentes ou demasiado permissivos, porque crianças desta idade não estão emocionalmente preparadas para lidar com todas as experiências online. Pais que oferecem e permitem o uso de aparelhos eletrónicos, que inclui smartphones, tablets ou videojogos, devem ser também responsáveis por garantir a segurança e a privacidade dos seus filhos".

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.