Em comunicado, a Câmara da capital do Alto Minho explicou que em causa estão os projetos "Escola da Natureza", "Da terra para a Terra" e os "Os Frescos vão à Escola", que se desenvolvem, ao longo do ano letivo, "de forma dinâmica e integrada com os programas curriculares dos diversos níveis de ensino".

Segundo a autarquia, o projeto "Escola da Natureza" abrange três áreas de ação - mar, rio e montanha - "nas quais os alunos podem entrar em contacto com espaços naturais de elevado valor ambiental do concelho, como por exemplo, os ecossistemas dunares, ecossistemas da zona entre marés e ecossistemas ribeirinhos.

Este projeto, acrescentou a Câmara local, desenvolve-se em ações nas escolas, para abordagem de conceitos teóricos, e realização de atividades experimentais. Inclui ainda saídas de campo como forma de consolidação dos conhecimentos adquiridos e valorização do património natural.

Já o projeto "Da terra para a Terra" leva às escolas, "pelo sétimo ano consecutivo, um conjunto de iniciativas de sensibilização sobre a separação adequada de resíduos urbanos, evitando ao máximo o seu encaminhamento para aterro sanitário".

Aquele projeto, de acordo com a autarquia, aborda ainda "a importância da valorização da matéria orgânica (que representa mais de 50% dos resíduos urbanos produzidos diariamente), não só através da recolha seletiva efetuada pelos Serviços Municipalizados de Saneamento Básico de Viana do Castelo junto das cantinas escolares (que é encaminhado para a Central de compostagem da Lipor), mas também através da compostagem nas escolas como via experimental deste processo".

No âmbito do projeto "Escola da Natureza", que abrange o máximo de escolas do concelho, desde o pré-escolar ao ensino secundário, incluindo o ensino especial, é "condição necessária que as escolas dinamizem um pequeno jardim ou horta, para encaminhamento do composto produzido nas escolas".

A iniciativa "Os Frescos vão à Escola", dirigida ao ensino pré-escolar e primeiro ciclo, tem como objetivo "sensibilizar os alunos para a importância de uma agricultura sustentável e a prática de uma alimentação saudável através da utilização de plantas aromáticas" e é dinamizado por uma empresa local de produção de ervas aromáticas.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.