Esta segunda-feira, a mãe começa a ser julgada acusada de difamar um dos jovens arguidos na investigação ao homicídio.

Maria de Fátima Macedo, 65 anos, começa a ser julgada, no Tribunal da Maia, por quatro crimes de difamação que poderão custar-lhe o pagamento de uma indemnização de 120 mil euros.

É este o montante pedido à mãe de Diogo, o aluno da Universidade Lusíada de Famalicão que morreu no dia 7 de outubro de 2001, após uma praxe.

A queixa partiu de Olavo Almeida, um estudante que Maria de Fátima Macedo nomeou num programa de televisão como "assassino" do filho.

Olavo Almeida, tuno agora com 39 anos – que chegou a ser arguido na investigação ao homicídio depois arquivada – não gostou. Apresentou uma acusação particular por difamação e uma procuradora do Ministério Público decidiu acompanhá-lo.

O julgamento começa na tarde desta segunda-feira no Tribunal da Maia e Maria de Fátima Macedo arrisca uma pena até dois anos de prisão ou o pagamento da multa.

Em 2009, o Tribunal Cível de Famalicão condenou a Universidade Lusíada de Famalicão a pagar à mãe 90 mil euros de indemnização pela morte do filho.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.