"A nossa enfermeira vai ter melhores condições para reduzir a mortalidade materna e infantil nas nossas unidades sanitárias", referiu Emelina José, representante da direção provincial de saúde ao receber o donativo. O apoio deverá beneficiar mulheres grávidas abrangidas por 30 unidades sanitárias de 11 distritos.

Muitas mulheres moçambicanas continuam a dar à luz em casa, sem assistência qualificada e tardam em procurar serviços de uma unidade de saúde, destaca a direção do Programa de Sobrevivência Materna e Infantil da Usaid, agência norte-americana para o desenvolvimento. Só 36% da população tem um centro de saúde ao qual pode chegar em meia-hora, enquanto outra parcela de 30% não tem acesso a nenhum tipo de cuidado, acrescenta.

As moto-ambulâncias hoje entregues pretendem "reforçar o transporte da mulher grávida, desde a comunidade onde se encontra até à respetiva unidade sanitária". O material entregue inclui ‘kits' de demonstração culinária com o objetivo de reduzir os índices de desnutrição.

O Programa de Sobrevivência Materna e Infantil é um consórcio liderado pela Jhpiego, entidade afiliada da Universidade Johns Hopkins, e que inclui as organizações Save The Children, John Snow e PATH.

O consórcio trabalha com o Ministério da Saúde para aumentar o acesso da população a serviços de saúde reprodutivos, maternos, neonatais e infantis de qualidade, com foco nas províncias de Nampula (norte) e Sofala (centro).

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.