A ideia de criar um berço inteligente surgiu há dois anos pela Google, mas só agora a patente foi registada. Este berço irá servir basicamente para monitorizar o bebé a vários níveis.

"Geralmente os pais escolhem um berço com base em dois critérios: segurança e estética. Normalmente, o colchão é uma peça que é comprada à parte assim como um monitor. No entanto, um monitor para bebé pode ser adaptado ao berço", refere a Google.

Com múltiplas câmeras, o monitor proposto pela gigante da tecnologia terá visão noturna infravermelha, sensores ligados a fontes na plataforma do colchão que vai permitir monitorizar os movimentos do bebé.

Idealmente, a tecnologia utilizada pela Google irá permitir que os sensores colocados no berço sejam sensíveis o suficiente para medir a qualidade do ar, a temperatura ambiente, detetar a presença de monóxido de carbono, se a criança está a vomitar, se tem a fralda suja e, inclusive, medir a febre.

No entanto, a grande diferença deste berço será o facto de poder responder ao bebé. Ou seja, através de um "dispositivo de entretenimento", poderá projetar um desenho animado no teto ou tocar música quando os sensores detetarem que o bebé está a chorar.

Mas os pais podem controlar este "dispositivo de entretenimento", colocando-o ativo ou não como forma de acalmar o bebé.

Por enquanto ainda é apenas uma ideia, mas espera-se que com a evolução dos produtos para bebés, o berço Google seja posto em prática num futuro próximo.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.