Esta é a primeira vez que Portugal, através da Universidade de Aveiro, recebe o encontro "The child and the book conference", organizado por um comité internacional de estudiosos, que acontece há cerca de dez anos em cidades diferentes, explicou à agência Lusa a investigadora Ana Margarida Ramos.

A 11.ª conferência internacional decorrerá de 26 a 28 de março na Universidade de Aveiro e os debates e apresentação de artigos científicos debruçam-se sobre a literatura para a infância e juventude, que versa sobre assuntos considerados "fraturantes e disruptivos".

"Sempre que procurava informação sobre estes temas encontrava uma lacuna e, por isso, propus o tema para o encontro. É uma das tendências mais recentes na abordagem da literatura infantil e queríamos discutir isso", afirmou Ana Margarida Ramos, que propôs o tema ao comité internacional.

Nesta conferência estão previstos painéis de apresentação de mais de 60 artigos de investigação sobre géneros e públicos, autores e ilustradores, sobre trabalho gráfico e editorial, tendo em conta temas como a violência, a guerra, a morte, a homossexualidade, as migrações, o exílio, a igualdade de género e a negligência afetiva.

Estarão presentes investigadores e especialistas de várias universidades - do Reino Unido, Espanha, Alemanha, Brasil, Israel, Austrália ou Itália e também de Portugal - e convidados como a professora Sandra L. Beckett e David Rudd, diretor do Centro Nacional de Investigação em Literatura para a Infância, no Reino Unido.

Os escritores Richard Zimler, Ana Saldanha, que já escreveram sobre temas de rutura, e Isabel Minhós Martins, assim como a ilustradora Madalena Matoso, fundadora de uma editora que foi fraturante no mercado livreiro - a Planeta Tangerina -, também participarão na conferência.

Haverá apresentação de artigos científicos sobre o autor brasileiro Roger Mello, o norte-americano Brian Selznick, o britânico David Almond e o australiano Shaun Tan, assim como sobre a literatura de determinadas culturas, como a catalã e a grega.

Segundo Ana Margarida Ramos, a realização destas conferências internacionais, em particular em Portugal, representa uma certa "legitimação desta literatura [para a infância e juventude] no contexto geral" e pretende valorizar os livros para crianças como objetos de estudo científico.

"Estamos melhor [ao nível da investigação em Portugal nesta área], com estudos de literatura e pós-graduações, mas esta legitimação é recente e as dificuldades são grandes. Em Portugal as primeiras teses de doutoramento têm cerca de dez anos, não temos revistas científicas em Portugal, a quantidade de bolsas de doutoramento e pós-doutoramento é nula", elencou a investigadora.

Ana Margarida Ramos, que integra a organização e o comité científico da conferência, é professora na Universidade de Aveiro, investigadora do Centro de Investigação de Línguas e Culturas daquela instituição e autora de vários artigos científicos sobre literatura para a infância e juventude.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.