Existem vários medos que assombram durante os nove meses e são um grande causador de stress. Deverá saber identificá-los, reconhecê-los e munir-se de ajuda para os ultrapassar. Mesmo que ache que são coisas da sua cabeça! As suas preocupações são legítimas e por isso poderá consultar aqui algumas delas e a melhor maneira de contornar as mesmas.

Alguma coisa correr mal
Toda a gente tem uma história para contar e, o pior, só se focam nas más (morte, complicações, entre outros)! É um medo legítimo e natural, mas não deixe que ele a consuma. Evite estar com pessoas ou corte a conversa quando o discurso não lhe agrada e deposite antes a sua energia em pensamento e pessoas positivas. Afinal de contas são mais as histórias de parto bem sucedidas do que as outras, felizmente! Se sentir que é algo que a martiriza constantemente procure ajuda com um especialista.

Maus tratos/ cuidado no hospital
O ideal será informar-se antes e procurar boas recomendações de pacientes acerca de médicos, procedimentos, medicamentos, o trato da equipa, etc... Faça as perguntas sobre as dúvidas que tem e questione-se. Muitos pacientes têm uma postura mais passiva o que faz com que os médicos façam as coisas quase de forma automática e, por isso, deverá demonstrar de forma educada que consigo não irá ser dessa maneira.

Não saber qual for a hora
Não obstante a sintonia que existirá entre si e o seu bebé, certamente irá sentir contrações ritmadas que lhe darão o sinal que está para breve. Para além disso, a partir das 40 semanas, as idas ao seu médico serão constantes e o bebé será monitorizado, logo a probabilidade de não saber é praticamente nula.

Tensão arterial
Há casos vários: aumento da tensão aquando o início da gestação, asmáticas que têm tendência ao aumento, etc... São situações que geram ansiedade, é certo, mas o aumento da tensão no fim da gravidez é normal, por exemplo, e os médicos sabem disso e faz parte do seu trabalho tomar as providências necessárias para o controle da mesma. Inclusive no parto a tensão e a oxigenação da mãe são monitorizadas. No entanto, e se for para ficar mais tranquila, peça para lhe medirem a tensão.

Cesariana
Deixe bem claro junto do seu médico que não quer fazer uma e quando entrar em trabalho de parto volte a referir. No entanto, a determinada altura vai ter de deixar de querer controlar tudo. A maioria das vezes a cesariana é a única opção para que tudo corra bem e as circunstâncias da situação irão sempre 'falar mais alto'.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.