Os especialistas em nutrição infantil recomendam que cada criança ingira diariamente, no mínimo, cinco porções de frutas e legumes. Idealmente estes alimentos devem constituir entre 25 a 30 por cento de uma refeição principal. Se está a pensar que é mais fácil recomendar do que conseguir semelhante feito, tem toda a razão.

As crianças, naturalmente, rejeitam alimentos novos e introduzir hortaliças, legumes e fruta em cada refeição pode ser uma tarefa ingrata. Mesmo assim, existem estratégias que pode usar para facilitar a sua vida e proporcionar uma alimentação bem mais saudável ao seu filho. Nós damos uma ajuda!

Aposte na diferença

Antes de mais, opte pela variedade. Ao oferecer diversas hipóteses, vai despertar a curiosidade natural da criança que terá um incentivo para experimentar algo diferente. No entanto, não se iluda ao pensar que será fácil. Uma criança pode chegar a recusar o mesmo alimento dez vezes antes de o decidir provar. Pode gostar um dia e mudar de ideias no outro. Por isso, não desista nem desanime.

Acima de tudo, não alimente conflitos à hora das refeições e não insista se receber um não, porque apenas tornará a recusa mais definitiva. Deve sempre encorajar o seu filho, mas a decisão final deve ser dele. Se ele optar por experimentar, não se esqueça de o elogiar, pois as crianças reagem positivamente aos elogios que funcionam como um excelente incentivo para continuar a agradar aos pais.

A arte da camuflagem

Para cumprir a quota diária de porções de fruta, hortaliças e legumes, associe-os a alimentos a que a criança não oferece resistência. Por exemplo, se o seu filho gosta de iogurte acrescente-lhe fruta. Aos pratos com massa adicione vegetais como tomates, cogumelos ou o que a sua imaginação sugerir. Comece com pequenas quantidades e, se não surgirem protestos, aumente-as progressivamente.

Outro truque é camuflar os vegetais. Não tente esconder ervilhas no puré de batata porque são demasiado evidentes, mas se optar por um vegetal da mesma cor como, por exemplo, a couve-flor, as suas hipóteses de sucesso serão superiores. Apele à criatividade do seu filho e peça-lhe para baptizar os novos pratos, transformando as refeições em momentos bem mais divertidos.

Veja na página seguinte: A partir de que idade deve sensibilizar a criança para a importância de fazer uma alimentação saudável

Torcer o pepino

Tente começar desde cedo a variar a alimentação do seu filho. Alguns estudos sugerem que introduzir novos alimentos entre os dois e os quatro anos é mais eficaz do que desta idade em diante. Isto não significa que não seja possível alterar os hábitos de crianças mais velhas, mas conte com mais trabalho. Deverá também examinar os seus próprios hábitos alimentares.

Uma criança que raramente vê os pais a praticar uma alimentação variada e rica em produtos frescos não terá vontade ou incentivo para o fazer. Faça por dar um bom exemplo aos seus filhos e pinte de verde as suas refeições, aproveitando para cuidar melhor deles e... de si! Os fins justificam os meios.

Texto: Paula Nascimento

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.