Um estudo do Departamento de Psicologia e Psiquiatria da Mayo Clinic, envolvendo mais de 800 crianças entre os sete e os 18 anos, apurou que as que evitam situações que temem têm maior probabilidade de sentir ansiedade.

 

A investigação baseou-se nas respostas das crianças e dos seus pais à questão:

 

- Quando o seu filho está assustado ou preocupado com alguma coisa, pede para a fazer mais tarde?

 

Como detetar?

 

A maioria das crianças tem medos, mas em alguns casos eles são intensificados, como parte de um distúrbio de ansiedade. Se a tentativa de evitar situações assustadoras impede a participação em atividades do dia a dia, é sinal de um problema incapacitante.

 

O que fazer?

 

Numa segunda etapa doestudo, 25 crianças ansiosas que tinham sido sujeitas a terapia 
cognitivo-comportamental revelaram uma diminuição dos comportamentos de evitamento, o que sugere que expor-se progressivamente aos medos permite superar a ansiedade. 

 

Segundo os investigadores, «as crianças que evitam situações assutadoras não têm oportunidade de enfrentar os medos e, por isso, não aprendem que eles podem ser geridos». A ajuda profissional pode, por isso, ser fulcral.

 


Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.