Falta de concentração, agressividade, desobediência, mudanças bruscas de ânimo...

A desordem por Défice de Atenção com Hiperatividade (DDAH), mais conhecida por hiperatividade, é uma perturbação do comportamento, de origem neurológica, que provoca falta de atenção e incapacidade em controlar determinadas atitudes.

Embora esta problemática comece por criar dificuldade na aprendizagem e na adaptação ao meio nos primeiros anos de vida (afeta cerca de 3-5% das crianças em idade escolar e mais os rapazes do que as raparigas), muitas vezes, prolonga-se pela vida adulta (em 30 a 50% dos casos).

Quais as causas?

Ainda não se conseguiu determinar com exatidão qual a origem desta doença, mas pensa-se que não seja provocada nem pelo tipo de educação recebida pela criança, nem pelo ambiente em que vive. As investigações mais recentes demonstram que pode ser causada por desequilíbrios bioquímicos no sistema nervoso.

Sintomas

Falta de atenção e de autocontrolo (impulsividade), atividade motora inadequada ou excessiva, mudanças bruscas de ânimo, agressividade, desobediência... Nenhum destes sintomas deve ser confundido com má educação.

Tratamento

Consiste em combinar a terapia comportamental com a farmacológica, para ajudar a criança a corrigir o seu comportamento e a aumentar a sua capacidade de concentração.

Prémios e castigos

O apoio educativo no ambiente familiar é fundamental para ajudar a modificar o comportamento de uma criança hiperativa. É muito eficaz premiá-la quando se porta bem e castigá-la quando se porta mal. As suas atividades e jogos favoritos ou as refeições de que mais gosta são boas moedas de troca.

Grupos de apoio

Partilhar experiências com outras pessoas afetadas pela doença pode ser muito útil para ajudar a criança e os pais. Para saber mais, contacte a Associação Portuguesa da Criança Hiperativa por telefone através do número 965 321 192 ou via Internet através de www.apdch.net.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.