As competências que queremos encontrar nos nossos filhos são muitas vezes o espelho das nossas ou das que gostaríamos de ter. Os nossos filhos vão ter de desempenhar tarefas diferentes das nossas. O mundo tem uma evolução tão acelerada que mesmo algumas competências que nos anos 90 eram fundamentais, têm neste momento o seu âmbito alterado ou perderam mesmo a sua anterior importância.

 

Para os nossos filhos vamos escolher as melhores e que para além de estarem na “moda” não se alteram com o tempo, são elas as competências emocionais e comportamentais que nos permitem obter sucesso noutras áreas fundamentais. Só uma criança bem adaptada e segura de si pode enfrentar com sucesso os desafios de uma sociedade cada dia mais complexa. O primeiro passo nesta estratégia de desenvolvimento passa por estabelecer uma parceria com a escola que a criança frequenta, os intervenientes na educação devem caminhar todos no mesmo sentido.

 

Em seguida identificar as competências mais desenvolvidas e de seguida as que devem ser reforçadas. Vamos junto da escola verificar que competências estão a ser desenvolvidas, e combinar uma forma de este desenvolvimento ser reforçado em casa. No final devemos ter construído um plano de desenvolvimento individual que permitirá dar resposta às principais necessidades de desenvolvimento do nosso filho. Não tentem “meter” todas as competências neste projecto, escolham as que são fundamentais e estas devem ser desenvolvidas de acordo com o nível de maturidade de cada criança.

 

Depois de criada a grelha de acompanhamento peça a opinião a outras pessoas que conheçam bem o seu filho para que a grelha possa ser suavizada. Vamos agora criar tarefas que permitem reforçar a auto-estima e a confiança que a criança tem na utilização das competências identificadas. A realização das tarefas deve ser acompanhada e os incentivos são bem vindos, vamos faze-los sentir que trabalham numa equipa, e que estas tarefas são importantes e muito valorizadas. Só acompanhamos e ajudamos, embora muitas crianças, queiram ser “Policias” quando forem grandes, normalmente não gostam de ser policiadas. Não vamos julgar ou substituirmo-nos a eles no desempenho das tarefas, por que isso terá o resultado inverso, eles iriam sentir que não acreditámos neles.


Grelha de Acompanhamento

 

A grelha de acompanhamento deve ser construída tendo por base as especificidades de cada estrutura familiar. Mas existem objectivos fundamentais que têm de fazer parte do processo, sendo o principal o não julgamento, não devemos julgar. Este planeamento não pretende avaliar as competências dos filhos ou dos pais e muito menos deve comparar desempenhos.


Então serve para quê?

 

• Serve para registar sucessos

• Registar insucesso

• Solução para as questões que devemos melhorar

• Ideias novas (deles e nossas)

• Registar o nosso empenhamento no processo

• Registar o empenhamento deles

• Manter a troca de informação com a escola baseada em factos

• No final ter uma base que nos pode permitir acompanhar todo o processo e implementar as necessárias melhorias.

 

Vamos olhar a interacção e a forma com gerimos a relação, depois utilizar essa informação como ferramenta para melhorar. Não utilizem estas ferramentas para julgar e pedir contas, elas devem ser apenas de apoio para a difícil tarefa de viver em sociedade, e principalmente de encontrar formas de desempenhar melhor o nosso papel de pais. Boa sorte para esta tarefa


A Equipa Let’s Grow


 

 

 

 

 

Morada:
Av. António Augusto de Aguiar, 38 R/c Esq.
1050-016 Lisboa
Telefones: 93 933 55 88 / 91 659 88 38
email: info@letsgrow.pt
www.letsgrow.pt
http://consultoriodeeducacao.blogs.sapo.pt/

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.