É lá que os mais pequenos passam muito do seu tempo. Não descure, por isso, nada no seu espaço preferido.

No quarto das crianças, interagem atividades tão diferentes como dormir, brincar e estudar. Assim, versatilidade é a palavra-chave na hora de decorar esta divisão.

Aqui nada pode ser deixado ao acaso, desde o mobiliário ao tipo de soalho, passando pelas cores e pela luz, tudo em nome da segurança e do conforto dos seus filhos. Só dando atenção a todos os pormenores, é possível evitar acidentes e alergias no reino dos mais novos. Siga os nossos conselhos.

Organização

O quarto deve estar dividido em três áreas distintas: uma para dormir, outra para brincar e outra de estudo. O desafio é torná-lo um espaço divertido mas que, em simultâneo, consiga proporcionar momentos de maior tranquilidade, necessários ao sono reparador, e de maior concentração, imprescindíveis ao estudo. Na área de estudo, «as fontes de distração devem ser reduzidas ao mínimo», aconselha Rosa Gouveia, pediatra.

Cama

Os bebés devem dormir em berços com grades com o mínimo de 60 centímetros de altura e seis centímetros de distância entre as barras, de acordo com as normas europeias. Não há idade certa para as crianças passarem para a cama, «mas o habitual é que esta passagem se dê por volta dos dois anos», explica a pediatra.

Nessa altura, tem duas hipóteses. Ou compra uma cama de crianças mais pequena ou investe numa de solteiro que durará mais anos. Em qualquer dos casos, pode comprar proteções amovíveis e aplicá-las na fase inicial de forma a evitar quedas.

Móveis

Num quarto de bebé não é necessário muita mobília, mas à medida que as crianças crescem essa necessidade aumenta e a opinião delas também começa a contar, por isso, se está a pensar remodelar o quarto dos seus filhos, peça-lhes uma opinião antes da decisão final.

Escolha móveis simples com cantos arredondados para evitar acidentes ou proteja-os com protetores próprios, sobretudo os que estão ao nível da cabeça da criança. Coloque travões nas gavetas dos armários e fixe as estantes à parede para evitar que caiam quando as crianças lhes mexem.

Soalho

O chão deve ser em material lavável ou fácil de limpar. «A alcatifa deve ser evitada, assim como os tapetes, devido à acumulação de pó e ácaros, responsáveis pelas alergias respiratórias», alerta a pediatra.

Cor

«O ambiente visual deve ser calmo, sendo, por isso, mais apropriadas as cores suaves. Os tons vivos são mais estimulantes e menos apropriados para induzir o sono», afirma Rosa Gouveia. Os azuis, verdes claros e o amarelo são boas opções e as paredes não têm de ser obrigatoriamente todas da mesma cor.

Luz

Aproveite a iluminação natural sempre que possível, evitando cortinados escuros. A iluminação de parede com os focos virados para cima, que fornece uma luz global e bem distribuída, é a ideal para o quarto dos mais jovens. A luz de presença pode ser uma opção para as crianças que têm medo de dormir sozinhas.

No entanto, de acordo com Rosa Gouveia, estas devem ser habituadas «a adquirir autonomia de sono e se adormecerem sem a luz de presença, não irão necessitar dela». Se o seu filho já estuda, um candeeiro para a secretária é imprescindível.

Brinquedos

«O ideal seria a criança ter um quarto de dormir e um quarto de brinquedos separados, mas isto nem sempre é possível logo, se os brinquedos estiverem no quarto de dormir, devem estar arrumados em caixas ou nas prateleiras do armário», refere a pediatra. Os bonecos de peluche devem ser evitados, pois podem favorecer o aparecimento de alergias.

Aparelhos eletrónicos

Atualmente os aparelhos eletrónicos (televisão, computador e aparelhagens de som) fazem parte do quotidiano das crianças desde muito cedo, mas convém adiar a sua entrada no quarto o mais possível. Os aparelhos, mesmo desligados, criam um campo de eletricidade estática nociva para a saúde, por isso, se o seu filho tem algum no quarto desligue sempre a respetiva tomada.

Aquecimento

«O aquecimento, de preferência central, pode ser necessário nos dias frios. Alguns aparelhos secam o ar, pelo que é necessário beber mais líquidos e humidificar o meio ambiente», explica Rosa Gouveia.

Os aparelhos de ar condicionado devem ser usados com moderação e é preciso não esquecer que exigem uma manutenção regular, caso contrário há acumulação de bactérias nos seus filtros. Em casas com muita humidade aconselha-se o uso de um desumidificador.

Partilha

Dividir o quarto com um irmão pode aumentar a proximidade e cumplicidade fraternal mas, para Rosa Gouveia, «o ideal é cada criança ter o seu próprio quarto.

No caso de irmãos do mesmo sexo não há inconveniente em partilharem o quarto, desde que cada um tenha o seu território. Se não forem do mesmo sexo, devem ter quartos separados a partir da puberdade», diz.

Quarto feng shui

Para saber como deve organizar o quarto dos seus filhos da forma ideal, clique aqui.

Texto: Rita Caetano com Rosa Gouveia (pediatra)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.