"Só hoje soube da morte do Maestro José Atalaya", foi com estas palavras que Manuel Luís Goucha deu início a uma publicação onde homenageia o compositor, que partiu aos 93 anos, na passada sexta-feira.

"Conversei com ele várias vezes, ainda eu estava no 'Praça da Alegria' e sempre fiz questão de dizer que a ele devia a minha preferência pela música clássica", recordou de seguida.

"Venho do tempo dos grandes comunicadores em televisão e José Atalaya era um desses que nos agarrava ao ecrã com as suas palavras e entusiasmo, no seu particular explicando-nos de forma entendível a função de cada instrumento numa partitura. Fazia-o como quem conta uma história explicando que a seguir aos violinos a resposta quiçá impetuosa seria a do piano e por aí adiante, fazendo-nos viajar em arrebatadoras paisagens sonoras", acrescentou.

Uma publicação que fez esta quarta-feira, no Instagram. "Precisamente há um ano, numa gloriosa noite em Salzburgo, escutando Daniel Barenboim com a Orquestra Filarmónica de Viena lembrei-me dele e da sua forma de comunicar pedagógica e inspiradora que, sem dúvida, ajudou a tornar-me no homem que sou, amante do Belo. Obrigado Maestro", rematou.

Leia Também: José Atalaya: SPA lembra maestro que quis aproximar público e orquestras

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.