É uma daquelas imagens que nunca mais na vida irá esquecer. Julia Samoylova nunca tinha visto um oceano ao vivo e foi em Portugal que realizou esse sonho. Esse e o de representar a Rússia no Festival Eurovisão da Canção. Em 2017, esteve muito perto de o conseguir, mas as autoridades ucranianas impediram-na de entrar no país por ter atuado na Crimeia, sem autorização, após a anexação russa daquela península, em 2014.

Em entrevista exclusiva ao Modern Life, a intérprete de "I won't break", que entretanto se enamorou por Lisboa e pela sonoridade da música portuguesa, faz revelações surpreendentes sobre o que mais a tem seduzido e encantado. "Ainda não sei se consigo mas gostaria de ficar cá mais tempo para poder desfrutar um bocadinho mais do sol e das belezas de Portugal", confidencia Julia Samoylova.

Quais são as suas expetativas em relação à edição deste ano do Festival da Canção da Eurovisão, uma vez que não pôde participar na edição do ano passado por causa das autoridades ucranianas?

Espero apresentar uma grande performance, desfrutar dos três grandes espetáculos que vão acontecer em Lisboa e conseguir passear por Portugal.

Já tinha estado em Portugal antes de vir cá gravar o vídeo de promoção do país que será transmitido antes da sua atuação na semi-final e na final do festival?

Cabelos cor de rosa, lábios marcantes e corpos esbeltos. As concorrentes do Festival da Canção da Eurovisão de 2018
Cabelos cor de rosa, lábios marcantes e corpos esbeltos. As concorrentes do Festival da Canção da Eurovisão de 2018
Ver artigo

Antes de voltar agora para o festival, tinha estado ainda há muito pouco tempo em Lisboa, precisamente para filmar esse vídeo de apresentação. Foi a minha primeira vez cá.

Tive uma estranha sensação de déjà vu quando vi a mistura pitoresca das ruas labirínticas e o colorido dos telhados nas colinas. É como se eu já tivesse pertencido a este lugar e regressasse agora depois de uma longa ausência.

Onde é que o seu vídeo promocional foi gravado? Alguma história curiosa?

Filmámo-lo no Oceanário de Lisboa, onde me mostraram todos os tipo de vida marinha. Depois, os nossos anfitriões levaram-nos a ver o oceano. Nunca tinha visto um oceano à minha frente com os meus próprios olhos. Foi o realizar de um sonho de infância, tal como sucede com a Eurovisão.

Já conhecia alguma coisa da música portuguesa antes do Salvador Sobral ganhar o Festival da Canção da Eurovisão de 2017?

Não, infelizmente não. Tenho pena que não o tivesse descoberto mais cedo. Agora, quero muito descobrir mais…

Qual é a opinião que tem de "Amar pelos dois", a canção que surpreendentemente, contra todas as expetativas, venceu o Festival da Canção da Eurovisão de 2017?

Não foi uma atuação fabricada e muito produzida, como muitas vezes sucede. Ele, pura e simplesmente, subiu ao palco e encantou toda a gente com a sua canção.

Alguns dos intérpretes da edição deste ano, já assumiram publicamente quais são as canções que mais os entusiasmam este ano. Quais são as suas?

Bem, eu gosto da cantora de Israel [Netta Barzilai], do vídeo da Bélgica e da canção de amor dos espanhóis, entre muitas outras das canções a concurso este ano.

A seguir ao Festival da Canção da Eurovisão, vai-se logo embora ou vai aproveitar para ficar em Lisboa e para conhecer melhor Portugal?

Ainda não sei se consigo mas gostaria de ficar cá mais tempo para poder desfrutar um bocadinho mais do sol e das belezas de Portugal.

Depois do festival, são muitos os projetos que tem em mãos? O que é que pode já revelar?

O meu primeiro álbum vai ser lançado para o mês que vem, em junho. Esse é o meu grande projeto para depois da Eurovisão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.