Scott Rudin, realizador de filmes como a 'A Rede Social' e 'Os Homens Que Odeiam As Mulheres', está a ser acusado por funcionários e colegas de produção de assédio moral e violência nas gravações.

O realizador terá batido na mão de um funcionário até sangrar, porque este não conseguiu reservar um voo, e atirado um vaso de vidro a um colaborador durante uma reunião, adianta o 'The Hollywood Reporter'.

"Esta história apenas arranha a superfície de todo o comportamento abusivo, racista e sexista de Scott Rudin", confirmou a produtora Megan Ellison (Her), que trabalhou com Rudin no filme 'Indomável'.

Ryan Nelson, assistente executivo do produtor entre 2018 e 2019, descreve os dias de trabalho com o realizador como "exaustivo e horrível". "Todos os dias eram cansativos e horríveis", lamenta.

Nelson explica que trabalhava pelo menos 14 horas diárias e que Rudin obrigava vários funcionários a dormir nos estúdios e escritórios.

Andrew Coles, outro ex-colaborador de Scott Rudin, conta outro relato chocante: "Havia pessoas que estavam com o cabelo a cair e a desenvolver úlceras. Era um ambiente muito intenso, mas era diferente. Chegou a um novo nível de insanidade".

Scott Rudin já tinha sido apelidado como "o homem mais temido da cidade" e o próprio chegou a gabar-se em público de ter feito 119 funcionários pedirem demissão.

Leia Também: Dolly Parton de luto. Morreu o homem que fez da cantora uma estrela

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.