O funeral do príncipe Filipe, que aconteceu no passado sábado, dia 17 de abril, foi a primeira ocasião em que o príncipe Harry regressou ao Reino Unido depois da polémica entrevista que ele, juntamente com a mulher, Meghan Markle, deu a Oprah Winfrey e do seu afastamento da realeza, que ficou conhecido como 'Megxit'.

Como seria de prever, o seu reencontro com os restantes membros da família real foi bastante tenso. Aliás, segundo o The Mirror, a maioria das pessoas presentes nas cerimónias fúnebres ignoraram Harry, com exceção de William, Kate Middleton e do tio, o príncipe André, que lhe dirigiram algumas palavras.

De acordo com o Mail Online, o príncipe Eduardo (filho mais novo da rainha Isabel II) e a princesa Ana (filha da rainha igualmente) não comunicaram com ele, nem antes, nem depois da cerimónia. A mulher de Eduardo, Sofia, condessa de Wessex, também se mostrou "fria" para com o sobrinho.

"Estão bastante zangados. Uniram-se em nome da rainha. Todos acham que ele se comportou terrivelmente", afirmou uma fonte à publicação.

"Ironicamente, o único que mostrou alguma simpatia foi o príncipe André. Ele sabe por causa da Sarah Ferguson [sua ex-mulher] - e agora por experiência própria - o que é ser um estranho, que é o caso do Harry", acrescentou.

"Há um grande sentimento de proteção para com a rainha e um ressentimento com o Harry. Há muito pouca simpatia depois do que ele e Meghan disseram à Oprah", fez-se ainda saber.

Entretanto, também foi noticiado que logo após a despedida, Harry e William estiveram durante duas horas à conversa por incentivo do pai, o príncipe Carlos.

Leia Também: Já se sabe quando é que o príncipe Harry voltará para os Estados Unidos

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.