O ator Paulo Rocha começou a ser julgado no Tribunal de Rio Maior pelo crime de agressão ao cantor e DJ Gonzo em Dezembro de 2007.

Na primeira audiência, esta sexta-feira, Paulo Rocha declarou que agiu em legítima defesa: “O Gonçalo (Gonzo) tentou dar-me uma cabeçada, eu levantei o cotovelo para me defender e acertei-lhe”, disse o acusado.

Gonzo, por seu lado, desmentiu esta tese: “Apenas lhe toquei no ombro para falar com ele e levei uma pancada brutal, ficando com a cara toda metida para dentro”, relatou o ex-membro da “boysband” Excesso.

O incidente ocorreu numa discoteca da zona de Rio Maior, já altas horas da noite, quando Gonzo estava acompanhado pela atriz Dânia Neto, sua namorada na altura e ex-namorada de Paulo Rocha.

Gonzo ficou com o rosto em péssimo estado, tendo mesmo sido obrigado a fazer uma reconstrução facial. "Tenho três placas de titânio na cara. Todos os dias quando me olho ao espelho vejo as marcas, mas o pior são as mazelas psicológicas", contou o DJ numa entrevista a SapoFama, em Janeiro último.

Paulo Rocha, que nos últimos tempos tem estado a trabalhar nas novelas da Globo, no Brasil, arrisca-se a uma pena de prisão que pode ir até três anos e ao pagamento de uma indemnização de 20 mil euros.

O julgamento prosseguirá no próximo dia 11.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.