Figurinistas, realizadores, assistentes de realização, coordenador de projeto, operadores de câmaras, iluminadores, aderecistas, duplos, editores, maquilhadores, caracterizadores, cabeleireiros, assistentes de efeitos especiais, cenógrafos, etc, etc, etc... É como um bolo, sem um destes ingredientes, a receita não sai certa, não funciona. Às vezes uma cena que em casa demora 2 segundos a ser vista, pode demorar um dia inteiro a ser gravada, por conta da complexidade cénica e o trabalho de todas estas pessoas.

Durante o período de gravações, estas pessoas acabam por se tornar a nossa segunda família. Criamos verdadeiros laços, alguns de amizade para a vida. Estes profissionais ajudam o nosso trabalho de ator a viver, a brilhar.

Neste projecto que estou a fazer tenho conhecido profissionais incríveis e seres humanos encantadores. Acolheram-me de uma forma tão carinhosa que não poderia desejar melhor. Tive muita sorte com o talento e a constante energia positiva destas pessoas que diariamente me rodeiam e me ajudam a construir e a dar vida a este 'Miguel Sales', um português em terras brasileiras, em 1803.

Em crónicas passadas já tenho falado dos atores, cenários, direção do projeto, portanto não é novidade a minha declarada admiração por estes profissionais, que me fazem entender o porquê de o Brasil ser pioneiro e rei na arte das novelas. Mas se vocês vissem o magnífico, quase mágico, trabalho de caracterização que é feito neste projeto... não iriam acreditar... Para terem uma leve ideia, a novela começa em 1803, há cicatrizes de chicotadas e queimaduras em escravos, mãos que são cortadas, perfurações de tiros, cabelos de condessas todos ornamentados, etc.

A novela começa em 1803 e todas as personagens sofrem uma passagem de quase 30 anos até ao último capítulo. Numa cena tenho cabelo curto, barba rala e 24 anos de idade, na cena seguinte já tenho uma equipa de profissionais a trabalhar em cima de mim para me fazer avançar 5 anos, depois de ter estado em África, deixando crescer o cabelo e a barba que é feita de pelo sintético previamente estudado em termos de tonalidades, tomando como referência a minha barba verdadeira, e colada posteriormente pelo a pelo com uma cola especial na minha cara. O resultado é fora de série.

Hoje mesmo tiveram de fazer um molde em gesso do meu rosto, para perceberem como será o 'Miguel' com 50 anos já pai da escrava Isaura, cenas que terei mais à frente. É tudo estudado ao pormenor por especialistas. Para esta parte da equipa hoje vai o meu aplauso e a minha vontade imensa de partilhar logo com vocês este projeto tão especial, tão espetacular e megalómano que estou a fazer.

Facebook

Instagram

Twitter

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.