O ‘Massacre de Columbine’ - um tiroteio entre jovens na Columbine High School -, em 1999, marcou a carreira de Marilyn Manson. Após a tragédia, alguns relatos deram conta de que os dois adolescentes, Dylan Klebold e Eric Harris, que mataram 12 alunos e um professor, eram fãs do músico e usaram t-shirts com a sua cara durante o crime.

Passadas quase duas décadas, Manson ainda fala com resignação do acontecimento. Em entrevista ao jornal ‘The Guardian’, o músico admitiu que o tiroteio teve repercussões na sua carreira: “Honestamente, a era de Columbine destruiu toda a minha carreira naquele momento”.

Os efeitos do tiroteio puderam notar-se nas vendas do álbum que o artista lançou a seguir ao acontecimento, tendo as vendas caído drasticamente. Atualmente, o músico ainda tenta disfarçar essa ‘nódoa’ que manchou a sua carreira e prepara-se para o lançamento de um novo álbum, ‘Heaven Upside Down’.

A entrevista de Manson ao jornal teve um final insólito: O músico terminou o momento a apontar uma arma falsa apontada à zona genital do jornalista.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.