Gloria Perez usou a sua conta de Instagram esta quinta-feira, dia 28, para recordar a filha, Daniella Perez, assassinada em 1992 pelo colega de trabalho Guilherme de Pádua e pela sua mulher na altura, Paula Nogueira Thomaz.

“Quanto mais o tempo passa, mais dói esse dia! Fica a impunidade dos assassinos", começa por referir.

"Fica a primeira emenda popular da História do Brasil, a lei que introduziu o homicídio qualificado entre os crimes hediondos, através da campanha que, passando de mão em mão, reuniu em 3 meses apenas, numa época sem Internet e sem apoio de nenhum grande órgão da imprensa, o número de assinaturas exigidas pela constituição para fazer passar uma lei proposta pelo povo", acrescenta.

"A aprovação pelo senado correu riscos, com senadores bem conhecidos se esgueirando para evitar que desse quorum. Interveio o presidente da casa, Humberto Lucena, que diante da ameaça, lançou mão do recurso de urgência urgentíssima e fez passar o projeto! #ImpunidadeMata #JoceliaBrandão #ValeriaVelasco #mãesDeAcari", completou.

Guilherme de Pádua foi condenado a 19 anos e seis meses de prisão pelo crime. No entanto, acabou por sair da cadeia após cumprir seis anos de pena, em 1999. Posteriormente converteu-se à religião evangélica e está casado com Juliana de Assis Lacerda.

Recorde-se que Daniella morreu no auge da sua carreira como atriz, enquanto integrava o elenco da novela ‘De Corpo e Alma’. Segundo a imprensa brasileira, a artista foi esfaqueada 19 vezes pelo ex-casal. O motivo? Guilherme acreditava que a sua carreira estava a ser prejudicada pelo sucesso de Daniella e Paula tinha ciúmes das cenas mais íntimas que os dois protagonizam na trama.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.