O marido da rainha Isabel II fez uma rara declaração pública para agradecer aos trabalhadores da frente de combate à pandemia covid-19 que mantêm os serviços essenciais em funcionamento.

O príncipe Filipe, que completa 99 anos em junho, disse, numa mensagem publicada na página de Internet da família real, que queria reconhecer o trabalho "vital e urgente" dos profissionais da medicina e da ciência.

"Em nome daqueles que permanecem seguros e em casa, também gostaria de agradecer a todos os trabalhadores essenciais que garantem que a infraestrutura de nossa vida continue; os funcionários e voluntários que trabalham na produção e distribuição de alimentos, os que mantêm os serviços postais e de entrega e os que asseguram que o lixo continua a ser recolhido", acrescentou.

O duque de Edimburgo afastou-se da vida pública em 2017, tendo no ano passado sido notícia por ter estado envolvido num acidente de viação junto à propriedade real de Sandrigham, na costa este de Inglaterra, chocando com outra viatura quando conduzia.

Atualmente encontra-se junto da rainha no Castelo de Windsor, com um grupo de empregados reduzido já que ambos fazem parte da população especialmente em risco devido a esta pandemia.

O filho e primeiro herdeiro na linha de sucessão, Príncipe Carlos, encontra-se na propriedade real de Balmoral, enquanto o neto e segundo na linha de sucessão, Príncipe William, está na região de Norfolk com a família.

Mesmo respeitando o regime de confinamento decretado pelo Governo, a família real tem estado ativa, publicando mensagens e participando em encontros por videoconferência com instituições como escolas ou organizações de solidariedade.

O príncipe Carlos inaugurou por videoconferência o hospital de campanha HMS Nightingale em Londres no início de abril e o príncipe William inaugurou um outro hospital provisório em Birmingham na semana passada.

A rainha Isabel II fez também uma comunicação rara por televisão a 05 de abril, exortando os britânicos a manterem o esforço no combate à pandemia, a qual foi vista por 24 milhões de pessoas.

"Juntos, estamos a enfrentar esta doença e quero garantir que, se permanecermos unidos e resolutos, vamos superá-la", disse a monarca.

Na semana passada, a rainha Isabel II tornou pública a decisão de cancelar as habituais salvas de canhão em celebração do 94º aniversário na terça-feira, por considerar "inapropriadas" nas atuais circunstâncias.

Tradicionalmente, a data de aniversário da rainha é assinalada por tiros de canhão disparados em Hyde Park e na Torre de Londres, assim como no Home Park de Windsor, a 40 quilómetros da capital.

O Palácio de Buckingham já tinha anunciado que a tradicional parada militar organizada anualmente em junho para comemorar oficialmente o aniversário da rainha não seria realizada este ano.

Leia Também: Reveladas as rotinas matinais da rainha Isabel II

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.