Mesmo morando em Lisboa, a casa de Cláudio Ramos continua a ser o Alentejo e vai à terra natal com frequência, como confessou a Cristina Ferreira. O apresentador esteve no programa ‘Conta-me’, que foi transmitido esta sexta-feira, o primeiro dia de 2021.

Apesar de ter vivido coisas muitos “difíceis” na terra natal, Cláudio afirma que está “tudo resolvido e não tem nenhuma mágoa com o passado".

Ao falar dos pais, o apresentador teceu rasgados elogios à mãe, afirmando que esta é “uma avó extraordinária”. “Uma das melhores coisas que a minha filha tem é ter uma avó como a minha mãe”.

Sobre o pai, recorda que era “rígido", muito "inteligente" e que tinha "muito orgulho" em si. No entanto, lembra, dizia que o trabalho com que Cláudio sempre sonhou “não era uma profissão”.

Cláudio destacou ainda que sempre sentiu que era uma “pessoa especial”, não só por causa da orientação sexual, mas porque, diz, “tem uma intuição diferente”. “Isto que está a acontecer, eu sabia que ia acontecer. Tinha a certeza absoluta há muitos anos”, admitiu, referindo que apenas duas pessoas acreditaram desde sempre que ia conseguir concretizar o que sempre sonhou.

A minha ex-mulher, que sempre me apoio e ajudou, e uma amiga da minha infância. Foram as únicas pessoas que acreditaram e nunca duvidaram. E eu”, realçou, desabafando que “este caminho todo é um caminho muito solitário”.

O fim do casamento com a mãe da filha também foi tema de conversa, com Cláudio a destacar que a ex-mulher sempre o apoio, mesmo depois da separação. Apesar de ter havido um período de luto, a filha que têm em comum foi sempre o foco principal, e “respeitaram-se muito”. “Tentei ser o melhor marido e o melhor ex-marido”, assegurou.

No entanto, reconhece, a ex-mulher foi quem mais sofreu com a separação. “Porque terminou e eu fui para uma coisa boa, que queria, e ela ficou sozinha com a filha, esta é a realidade”, lembrou.

Cláudio explicou também que não soube desde sempre que era homossexual, até porque sonhava em ter uma casa e construir uma família. Apesar de várias pessoas ao seu redor notarem que era ‘especial’, incluindo o pai que dizia que era “maricas” – recordações com as quais, frisa, não ficou traumatizado -, o apresentador apenas sabia que tinha uma “maior sensibilidade”, mas “não olhava para um homem a achá-lo um máximo”.

Amava a minha ex-mulher e tinha relações normais com ela”, contou, lembrando ainda que no dia em que conversou com a antiga companheira sobre a orientação sexual, esteve duas semanas sem falar com a mesma.

“Ela gostava muito de mim na altura e, devagarinho, começou a perceber que não havia nada a fazer”, recordou, realçando que na altura ambos não se esconderam e que não anunciou nenhum namoro, até por respeito à filha e à ‘ex’.

Cláudio partilhou ainda que quando a filha tinha dez anos, perguntou-lhe se era bissexual. Na altura, Cláudio teve uma conversa com a menina e explicou que é homossexual.

Neste momento, a filha do apresentador encontra-se numa fase em que quer “cada vez menos ser filha de Cláudio Ramos a pessoa pública”. “Quer estar cada vez mais sossegada, tranquila, afastada, e não quer saber disto. Quando fui para o ‘Big Brother’, foi um choque porque toda a gente na escola falava disso e ela não queria saber de nada disto”, acrescentou.

Apesar de ter estado largos anos na SIC a comentar a vida dos famosos, Cláudio queria outro futuro para si e sempre achou que ia conseguir, mesmo quando esteve quase a desistir.

Gostou do que fez na antiga estação até determinada altura, mas começou depois a sentir “vergonha”, “um vazio”. Não tinha vergonha do trabalho, explica, e tentava sempre fazê-lo bem feito, mas não queria continuar naquele registo.

Cláudio disse ainda que pediu várias vezes à SIC para que lhe fosse dado outro projeto, tendo também apresentado outras ideias, mas a resposta era sempre a mesma: “vamos pensar, mas não faziam nada”. “Diziam que era bom a fazer aquilo”, mas não era o que queria.

Quando Cristina chegou à SIC e lhe deu a oportunidade de ser seu vizinho no ‘Programa da Cristina’, ao início o apresentador achava que seria um papel redutor. No entanto, nunca sentiu isso durante a fase em que esteve nas manhãs da estação ao lado de Cristina, pelo contrário, estava muito “feliz” com aquele projeto. Na altura até começou a afastar-se do ‘Passadeira Vermelha’, a “perder dinheiro”, mas a fazer o que o deixava mais feliz.

Assim que recebeu o convite para apresentar o ‘Big Brother’, pensou logo que tinha de aceitar. Foi uma oportunidade única, a primeira vez que conseguiu um papel de destaque, depois de ter estado largos anos na SIC como “segunda figura”.

Nesse momento, que aconteceu no início de 2020, a sua principal preocupação era contar a Cristina, porque sabia que para a apresentadora não era apenas o vizinho. Com medo que a colega e amiga fizesse de tudo para que ficasse ao seu lado, como por exemplo oferecer-lhe um “mega contrato”, Cláudio só comunicou a decisão no último dia. Isto porque queria muito abraçar o novo projeto e não queria ser influenciado a ficar no canal. “Tinha medo de aceitar e perder uma oportunidade”.

Cristina e Cláudio, como já tinham tornado público, ficaram uns dias sem se falarem, mas a amizade não morreu, pelo contrário, voltaram a encontrar-se agora na TVI e estão entusiasmados com o futuro do canal.

Cláudio vai estrear-se na segunda-feira, 4 de janeiro, ao lado de Maria Botelho Moniz no novo programa das manhãs, ‘2 às 10’. “As manhãs foram a melhor coisas que me aconteceu, mais do que o ‘Big Brother’”, confessou à atual diretora de entretenimento e ficção da TVI.

Por isso, Cláudio espera conseguir “ganhar”. “Vou trabalhar para ganhar, quero ganhar com força, quero-me preparar para ganhar”, salientou, admitindo também estar “com medo, ansioso e com receio”.

“Nada nos é dado de mão beijada, temos de fazer por merecer”, destacou, contando ainda que está mais próximo de Manuel Luís Gocuha, com que tem trocado algumas impressões nos últimos dias, percebendo que têm “muitas semelhanças”.

Sobre o seu coração, depois de Cristina ter visto na casa de Cláudio Ramos uma fotografia sua com Diogo Faria, de quem ter-se-á separado, o apresentador apenas disse: “As pessoas importantes fazem parte da nossa vida aconteça o que acontecer. É uma pessoa importante na minha vida e fica na minha vida”.

Leia Também: "Fui muito egoísta. Não a troquei por uma mulher, acho que isso ajuda"

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.