Wagner Moura deu uma entrevista a Leonardo Sanchez do jornal Folha de São Paulo onde revelou abertamente a sua opinião sobre o governo de Jair Bolsonaro.

O ator afirma não ter dúvidas de que o seu novo filme, 'Marighella', onde se estreia como realizador, foi censurado no Brasil.

"Não tenho a menos dúvida de que o filme foi censurado", afirma.

Exibido em Berlim em 2019, o filme só agora chegou ao país de Vera Cruz. Porém, não é apenas esta questão que o faz estar contra as políticas do presidente do Brasil.

Wagner Moura afirma que Bolsonaro revela uma face perversa do Brasil, um país autoritário, violento, racista e elitista.

"Este cortejo de mediocridade que vem atrás dele mostra que Bolsonaro não é um alien, não veio de Marte. Ele é um personagem profundamente conectado ao esgoto da história brasileira, que nos mostra que o Brasil não é só um país de originalidade, de beleza, de potência, de diversidade, de biodiversidade", declarou.

"Qualquer pessoa que aceite fazer parte desse governo já é, por excelência, anticultura, anti-direitos humanos, anti-meio ambiente, antiprogressismo. Olhas para qualquer um deles e vês que são pessoas medíocres, recalcadas", defende ainda.

Leia Também: "Bolsonaro é o maior grunho vivo. Que homem nojento"

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.