O bispo Michael Curry, que se tornou mundialmente conhecido depois de ter dado um sermão no casamento de Harry e Meghan Markle, recordou a cerimónia durante uma entrevista à revista People.

Em declarações inéditas, este garante ter "sentido os escravos" no lugar onde se realizou o casamento, referindo que para ele este foi um "sinal de esperança":

"Depois de ter dado o sermão, lembro-me que de certa forma conseguia sentir os escravos naquele lugar. Não quero parecer assustador, mas é como se as suas vozes tivessem sido ouvidas de alguma maneira naquele dia. Incluí uma das suas canções, 'There is a Balm in Gilead'", contou.

"Era como se fossem as vozes deles, numa das suas músicas, um dos seus descendentes estava lá naquele dia. A rainha foi muito amável", acrescentou, elogiando Isabel II.

"O facto de que tudo aquilo aconteceu, para mim, foi um sinal de esperança. Um sinal de que quem descende de pessoas que foram apanhadas nas malhas da escravatura, provavelmente britânicas, são trazidos de África e da América. Aquele descendente estava na presença na rainha de Inglaterra, e citou uma da suas canções. É um sinal que não temos de continuar a seguir o mesmo caminho de sempre", completou.

Importa notar que no seu discurso de 14 minutos, Curry citou Martin Luther King.

Leia Também: Harry e Meghan Markle querem aumentar a família. Novo bebé à vista?

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.