O processo em que Jim Carrey se encontrava indiciado, após o suicídio da namorada – Cathriona White – foi arquivado na passada quinta-feira, dia 25, informa o New York Daily News.

O ator tinha sido acusado pela família de Cathriona, nomeadamente a mãe, Brigid Seetman, de ter contribuído para a morte da mesma, na medida em que lhe terá transmitido duas doenças venéreas. Para além disso, consta que o artista terá usado um nome falso para conseguir receitas de medicamentos que foram consumidos por White.

Por seu turno, Carrey garante que quando conheceu a então namorada a mesma já tinha sido diagnosticada com a doenças. "O objetivo de Cathriona White em obter esses documentos era muito claro. Ela preparou os documentos, criando as falsificações com informações alteradas, testes falsos e datas fictícias", lê-se nos documentos em tribunal.

De recordar que Cathriona White morreu em novembro de 2015, aos 28 anos, devido a uma overdose de comprimidos.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.