Pedro Pé-Curto foi um dos participantes da segunda edição de 'Casados à Primeira Vista' que mais se destacou. No programa da SIC tornou-se conhecido do grande público e ganhou fiéis seguidores, os mesmos que agora o acompanham nas suas redes sociais.

E foi precisamente nas suas contas oficiais que Pedro contou recentemente ter sido submetido a uma operação à coluna. Ainda em recuperação, o professor de educação física conversou com o Fama Ao Minuto para nos contar o que motivou a intervenção.

Desde a relação com Soraia, de 'Quem Quer Namorar Com o Agricultor?', à sua participação em 'Casados à Primeira Vista, nesta conversa nada ficou por responder.

O Pedro foi notícia recentemente pelo facto de ter sido operado à coluna, o que motivou esta intervenção?

Era algo que já me apoquentava há algum tempo, já quando estava no programa sentia dores ciáticas que me afetavam desde a parte final da coluna até à nádega esquerda e, por vezes, até apanhava o calcanhar. Quando comecei a trabalhar andava medicado, mas não resultou. Os médicos aconselharam-me a fazer uma TAC e aí foi diagnosticado que o meu canal onde passa o nervo ciático congenitamente é muito estreito, e o facto de ter uma hérnia discal fazia com que a dor ainda se agudizasse mais. Com a idade que tenho e sendo eu professor de educação física isto estava a incomodar-me na minha vida pessoal e profissional. Tinha muitas dores, fazia contraturas com facilidade, até a abrir o fogão, por exemplo, quis resolver a situação o mais rapidamente possível para ter qualidade de vida.

E a recuperação, como está a correr?

Fui ao médico esta quinta-feira. Estava bastante receoso de sair de casa devido à pandemia do novo coronavírus, mas a consulta não foi desmarcada e aconselharam-me a ir. O médico disse-me que está tudo maravilhosamente bem. Todos os procedimentos que fiz em casa no pós-cirúrgico correram muito bem, isto porque na altura em que sai do hospital já não tive oportunidade de ir mudar o penso ao centro de saúde. Vim para casa, pedi algumas diretrizes a uma amiga que é enfermeira e foi a Soraia a fazer-me o penso.

Então podemos dizer que a Soraia tem sido um grande apoio nesta fase de recuperação?

Sem dúvida alguma. Só posso estar em pé ou deitado, ainda não me posso sentar, o que faz com que uma pessoa na minha situação, estando sozinha, seja muito difícil recuperar. Felizmente, eu tenho a Soraia. Ela tem-me ajudado em tudo, até banho teve de me dar. Agora já não é preciso, apesar das limitações, já consigo fazê-lo sozinho, mas os primeiros dias foram muito complicados.

Ambos sempre quisemos ser pais. Temos esse objetivo, sim

Como é que o Pedro e a Soraia se conheceram?

Foi por coincidência num restaurante, ela estava lá com uma amiga e eu fui lá com um amigo também. Antes disso tínhamos falado através do Instagram sobre aquele mesmo restaurante, por coincidência acabámos por nos encontrar lá. Fui meter conversa com ela, porque já tínhamos trocado mensagens e também porque tínhamos um amigo em comum, o Luís, que também foi participante do programa. As pessoas que entram nestes reality shows, ou experiências sociais, chamem como quiserem, acabam por criar ligações uns com os outros porque vivem nos programas experiências semelhantes.

Notícias ao Minuto

Pedro e a namorada, Soraia Araújo© Reprodução Instagram

O facto de serem ambos ex-participantes de programas televisivos, o Pedro de 'Casados à Primeira Vista' e a Soraia de 'Quem Quer Namorar Com o Agricultor?', ajudou a que soubessem lidar melhor com tudo o que acabava por sair na imprensa quando assumiram a relação?

Sim. O facto de a Soraia ter estado a participar num programa há relativamente pouco tempo ajudou-me a encarar também melhor esta pressão da imprensa. A Soraia já há muitos anos que está no meio televisivo, com facilidade sabe lidar com estas situações das revistas e dos jornalistas, isso também ajudou um bocadinho na nossa relação. Tentámos fazê-lo da melhor forma possível e que o nosso início de relação não fosse contaminado por nada.

Houve intimidade entre alguns casais e quando as pessoas não têm mesmo nada a ver uma com a outra não se conseguem minimamente tocar

Tem-se falado muito na imprensa cor-de-rosa sobre a possibilidade de vocês serem pais em breve. É algo que, de facto, faz parte dos vossos planos?

Com certeza que sim. A Soraia já tinha colocado de parte essa ideia porque, até ao momento, ainda não tinha encontrado ninguém com características para ser o pai do filho dela, mas quando me conheceu essa possibilidade voltou a estar em cima da mesa. Nunca escondi que é um objetivo que tenho e sempre desejei ter ao meu lado alguém com o mesmo objetivo. Não foi nada imposto, não lhe disse que apenas namorava com ela se quisesse ter um filho, mas conhecemo-nos melhor e percebemos que ambos sempre quisemos ser pais. Temos esse objetivo, sim. Como é óbvio neste momento as preocupações são outras, mas o que tiver de acontecer vai acontecer.

E o casamento, também faz parte dos vossos planos?

Neste momento o casamento não é relevante, nem faz parte dos nossos planos mais próximos. Nós vivemos juntos e estamos em sintonia e felizes. Mas que dávamos um lindo casal de noivos dávamos [risos]. Nós vivemos como casados, mais do que muitos que estão casados pelo papel, isso eu posso garantir.

Recuando à sua participação em 'Casados à Primeira Vista', passados estes meses e já com algum distanciamento, o Pedro voltaria a participar no programa?

Se não estivesse com a Soraia, se calhar, equacionava voltar a inscrever-me, sim. Continuo a acreditar na ciência e o que acho é que houve ali critérios de seleção que podem ter sido deturpados pelas pessoas que se inscreveram. Nem todas as pessoas foram totalmente sinceras e, se calhar, por isso é que as coisas não resultaram. Ouvi dizer que o programa, agora numa próxima temporada, vai ter moldes diferentes, vai ser quase 24 horas por dia, o que pode ser uma grande mais-valia. Aí sim se consegue ver quem é que quer realmente apostar numa relação.

Não tenho qualquer tipo de ressentimento pela Liliana

Nesta segunda edição de 'Casados à Primeira Vista' muitos dos concorrentes acabaram por criticar os especialistas e a forma como foram escolhidos os pares. O Pedro partilha desta opinião?

Sinceramente, não queria opinar sobre o trabalho dos especialistas porque eu acredito que eles são profissionais e que fizeram as coisas de acordo com o que consideraram ser o melhor. Se analisarmos, 90% dos casais que eles juntaram tinham muitas coisas em comum e até se deram bastante bem no início, o problema é que os especialistas não podem fazer tudo… nem dentro do programa, nem fora. Se não for a pessoa que está dentro da relação a querer e estar totalmente entregue à experiência, não vai dar. Se tiver estímulos exteriores que afetem o seu comportamento não vai dar.

Os especialistas, na minha opinião, fizeram o seu trabalho e até o fizeram relativamente bem em grande parte ou na grande maioria dos casais. Até porque houve intimidade entre alguns dos casais e quando as pessoas não têm mesmo nada a ver uma com a outra não se conseguem minimamente tocar. Não é? E isso existiu, as relações só não conseguiram ser consolidadas porque algumas pessoas não tiveram dispostas a dar o passo em frente. Aquilo tem de partir de nós, os especialistas fazem o seu trabalho, mas os casais tem de fazer um trabalho extra muito grande.

O Pedro e a Liliana, o seu par no programa, acabaram por dar muito que falar na imprensa depois de o programa ter terminado. Esse é um capítulo encerrado na sua vida?

Não tenho qualquer tipo de ressentimento pela Liliana. Ela seguiu o seu caminho e eu segui o meu. Ela já veio dizer tantas coisas, já explicou tantas coisas, já explicou porque é que ela agiu e reagiu daquela forma... acho que está tudo explicado. Eu estou muito feliz agora e só quero debruçar-me na relação que tenho com a Soraia.

É algo preocupante, a mim pessoalmente assusta-me

O Pedro levará ainda algum tempo a recuperar, portanto, mesmo sem COVID-19 já sabia que teria de ficar em casa. Isso faz com que custe menos estar em quarentena por esta altura?

Por um lado não está a ser tão custoso em termos psicológicos, porque eu teria de fazer quarentena na mesma, mas em termos emocionais é tão preocupante para mim como para qualquer pessoa. Foi uma quarentena que acabou por ser duplamente imposta, mas que está a correr muito bem graças ao apoio que tenho tido da Soraia.

O que é que o Pedro e a Soraia têm feito em casa para se distraírem?

Nós estamos juntos há relativamente pouco tempo, desde finais de dezembro, mais ou menos, e começámos logo a viver juntos. Por curioso que seja, a Soraia é uma pessoa muito caseira, nem tinha ideia disso, ela gosta muito de estar em casa. Eu também gosto de estar em casa, mas sou muito mais ativo, muito mais dinâmico... sou um bocado hiperativo, gosto muito de fazer desporto.

Mesmo agora não consigo estar deitado o dia todo, por isso passeamos muito em casa um com o outro, fazemos muitas brincadeiras um com o outro, cozinhamos juntos, vemos muita televisão, muitas séries, fazemos vídeos de brincadeiras, faço alguns diretos em que a Soraia também entra, já fomos convidados para fazer diretos com amigos e vou fazendo uns vídeos para alertar a que não saiam de casa.

Apesar de não ser uma figura pública de renome, nem assim me considerar, há sempre pessoas que gostam de nós e que nos seguem e nunca é demais alertar para os cuidados necessários. E no fim, o mais curioso é que muitas vezes acabo o dia sem conseguir fazer tudo aquilo que tinha planeado. Ah e já me estava a esquecer, temos aproveitado também para namorar [risos] e ainda tenho de reservar tempo para outras atividades relacionadas com o meu trabalho.

Na qualidade de professor, como tem sido o desafio de estar neste momento a realizar teletrabalho?

Temos feito várias reuniões através de videochamada e, desde que foi imposta a quarentena obrigatória e que foram suspensas as atividades letivas, na minha escola foi adotada a medida de nós criarmos algumas atividades para os alunos fazerem em casa. A primeira atividade e até agora aquela que está a ser desenvolvida pelos alunos é de investigação teórica dos desportos. Esta é uma das estratégias, mas pode haver outras. Por terem espaço e condições físicas para isso, que neste momento por estar ainda a recuperar não tenho, há colegas que criaram vídeos onde desenvolvem diversas atividades de exercício para as crianças fazerem em casa. Não há falta de propostas para os alunos, aquilo que tenho ouvido por parte de colegas professores e até de encarregados de educação é que não há falta de trabalho para eles estarem entretidos. Agora, claro que não é o mesmo do que estar em ambiente escolar.

Entre a faixa etária mais velha, que inclui a população de risco, são muitos os que parecem ter dificuldade em perceber a necessidade de fazer quarentena e do isolamento social. O Pedro também notou isso com os seus pais?

Custa-me dizer que sim, mas é verdade. A minha mãe é uma pessoa muito peculiar, é muito vivaça, não gosta de estar parada... não é fácil. É mais difícil eles perceberem. Acho que é também porque eles sentem que já ultrapassaram tanto na vida e que já viveram tantas dificuldades que isto é só mais uma. Tenho recebido também informações de amigos que são polícias que encontram pessoas com mais idade juntas em jardins a fumar e a conversar, são alertadas e 10 minutos depois voltam a fazer o mesmo. São coisas que me preocupam muito. Parece que as pessoas não têm bem noção daquilo que ainda está para vir e a mim aflige-me que levem isto de ânimo leve. É algo preocupante, a mim pessoalmente assusta-me.

Gostaria de deixar algum alerta relacionado com este tema?

Quero deixar um alerta e um apelo para que as pessoas fiquem efetivamente em casa e que não pensem que isto é apenas uma brincadeira, porque não é. É uma coisa muito séria, os números são alarmantes e nós temos de fazer a nossa parte para evitar o pior.

Falemos agora em relação ao futuro, o Pedro tem como objetivo conciliar outros projetos com a sua atividade profissional?

Criei um site que é o pecurto.pt onde estava antes de ser operado a publicitar personal training. As pessoas inscreviam-se e depois tinham uma aula de PT comigo na praia, no pinhal ou noutro local à escolha, mas infelizmente esse projeto teve agora de ser adiado. Entretanto, também houve uma coisa que me ficou: o 'bichinho' da televisão. Estou disponível para receber propostas nesse sentido, gostava de comentar algo relacionado com o desporto, com a atualidade desportiva ou até com relacionamentos. Estou disposto a qualquer tipo de proposta desde que me dê prazer e que seja vantajosa para mim.

Leia Também: Pedro Pé-Curto de 'Casados' encontra-se em recuperação após ser operado

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.