1. Tradições pascais muito especiais

Na manhã do domingo de Páscoa é hábito organizar-se uma caça aos ovos, devidamente coloridos, para grande diversão das crianças. Reconhecidos pela sua beleza são os ovos decorados pelos sorábios, minoria autóctone, de origem eslava, que preserva as suas tradições no leste da Alemanha.

Outro costume é a fogueira da Páscoa: famílias, vizinhos e amigos reúnem-se em torno delas, num ritual ancestral para afastar a escuridão do inverno e dar as boas-vindas à primavera. Encontra-as, por exemplo, à beira do rio Elba, em Hamburgo.

Prédios "vegetalizados": como uma floresta vertical expulsou centenas de pessoas das suas próprias casas
Prédios "vegetalizados": como uma floresta vertical expulsou centenas de pessoas das suas próprias casas
Ver artigo

2. A Lei de Pureza da Cerveja tem mais de 500 anos

É a regulamentação alimentar mais antiga do mundo em vigor: a cerveja deve ser feita apenas com água, malte de cevada, lúpulo e levedura. No entanto, não há acordo quanto à sua origem: cervejeiros da Baviera defendem que a lei remonta a um documento de 1516, já os seus colegas do estado da Turíngia remetem para um regulamento do comércio local de 1434. Certo é que existem cerca de 5.000 cervejas diferentes a descobrir na Alemanha, que sabem ainda melhor num jardim de cerveja como o Englischer Garten de Munique.

3. O primeiro hostel do mundo fica num castelo alemão

Corria o ano de 1914 quando o primeiro youth hostel permanente foi criado no Castelo de Altena, na cidade homónima, a pouco mais de uma hora de Düsseldorf. As instalações originais foram entretanto convertidas num museu mas o hostel mantém-se em funcionamento num outro espaço do castelo (diárias a partir de 29€). Mais uma trintena de pousadas de juventude ficam situadas em palácios, castelos e outros edifícios históricos, como é o caso da Fortaleza de Ehrenbreitstein, em Coblença.

4. Existem “regiões demarcadas” de salsichas

Cada alemão come três quilos de salsichas por ano, diz a estatística de uma associação profissional, e não admira: embora remontem à Grécia Antiga, foram adotadas pelos alemães como parte da sua herança cultural, tornando-se num delicioso símbolo do país. Há muitos tipos e algumas são protegidas por lei, nomeadamente as de Nuremberga: só podem ter essa designação as produzidas na cidade, de acordo com uma receita com mais de 700 anos que define o peso, até 25 gramas, e o tamanho, sete a nove centímetros. Mais pequenas do que as salsichas comuns, conquistam pelo sabor especial.

"Vai-te quilhar!": As 10 expressões mais atrevidas da língua portuguesa
"Vai-te quilhar!": As 10 expressões mais atrevidas da língua portuguesa
Ver artigo

5. A Catedral de Colónia demorou seis séculos a ser construída

Obras demoradas não são geralmente associadas à Alemanha mas… É um facto, a Catedral de Colónia começou a ser edificada em 1248 e só ficou concluída em 1880. A construção prolongou-se, portanto, por 632 anos (sendo que esteve suspensa durante quase três séculos), o que constitui um recorde mundial. Classificada Património Mundial pela UNESCO, esta uma obra-prima da arquitetura gótica é a maior atração da Alemanha, visitada anualmente por mais de seis milhões de turistas e peregrinos.

6. Pode jantar no topo do parlamento alemão

Trata-se do único restaurante do mundo situado no edifício de um parlamento e aberto ao público. Chama-se Käfer Roof Garden Restaurant, fica mesmo ao lado da cúpula que Norman Foster criou no topo do Reichstag e, portanto, oferece uma belíssima vista sobre Berlim. Por óbvios motivos de segurança, é necessário fazer reserva com 48 horas de antecedência fornecendo alguns dados de identificação.

7. A Alemanha é um país de inventores

No final do século XIX, trabalhando quase simultaneamente, dois inventores revolucionariam o modo como nos movemos: Gottlieb Daimler e Carl Benz criaram o automóvel – e o primeiro patenteado do mundo encontra-se exposto no Museu Mercedes Benz, em Estugarda, que merece uma visita demorada. Do vasto rol de invenções alemãs fazem parte o airbag, o MP3 e o smart card mas também a árvore de Natal, o relógio de cuco e… os gnomos de jardim. Na era barroca estas pequenas estátuas eram usadas para decorar os jardins das famílias abastadas mas popularizaram-se quando August Heissner e Philipp Griebel iniciaram a produção em massa.

8. Há museus alemães para todos os gostos

Destino cultural por excelência, a Alemanha possui mais de 6.700 museus. Só em Berlim existem cerca de 175, destacando-se obviamente a Ilha dos Museus, Património da Humanidade, mas existem alguns mais invulgares como o Spy Museum (da espionagem), o Lippenstift Museum (do batom) ou o Hanf Museum (do cânhamo). Na verdade, há-os para todos os gostos espalhados pelo país, desde o Museu das Especiarias de Hamburgo; ao do Lúpulo, ingrediente fundamental da cerveja, perto de Munique; ou mesmo o Dachshund Museum, o primeiro do mundo dedicado aos cães mais conhecidos por “salsicha”, em Passau.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.