Para quem está habituado a passar longas horas no jardim nos meses de primavera e de verão, quando chega o outono e as primeiras águas, ainda antes do inverno nos brindar com frio, com chuva, com geada e até com neve, ainda que em Portugal tenhamos (muita) sorte com as condições climatéricas desta região do globo, esse prazer torna-se bastante limitado. As idas ao jardim quase se resumem às tarefas indispensáveis para manter o espaço cuidado e vão diminuindo à medida que o inverno vai avançando.

Mas para quem dispõe de algum espaço, não necessita ser muito, pode continuar a desfrutar do sol nos meses frios, em ambiente arejado e luminoso com a companhia das plantas. Não apenas para relaxar mas também para trabalhar ou fazer refeições mais descontraídas. Em Portugal, ainda não existe muito a cultura destes espaços mas, numa vida cada vez mais urbana, são um refúgio. E a grande vantagem é que a sua utilização não se resume apenas aos meses de outono e inverno, como rapidamente perceberá.

Por se tratarem de locais abrigados, podem ser, à partida, aproveitados durante todo o ano e ainda, outra vantagem, constituem uma alternativa a quem não pode ou não pretende ter plantas em casa. Os jardins de inverno podem ser instalados em terraços, em jardins, em salas e até em coberturas, embora o mais comum seja nos espaços exteriores, onde, no conforto de uma superfície envidraçada, é possível desfrutar dos raios solares mesmo que chova a potes lá fora. Um autêntico bálsamo para a alma.

Plantas recomendadas

As plantas para jardins de inverno não são necessariamente caras. Com um pouco de criatividade e algum bom gosto, consegue dotar o jardim com uma coleção económica e, ao mesmo tempo, decorativa. As plantas a colocar não necessitam de muito espaço e pode optar por espécies que se adaptem bem às condições que existem no interior da casa. Além das plantas, embora sem nunca exagerar, pode complementar a decoração com fontes ou com outras peças que combinem com as plantas e as flores que escolheu.

Materiais sugeridos

Atualmente, existe uma grande panóplia de soluções para jardins de inverno. Desde os modelos standard de fabrico industrial às soluções por medida que muitas empresas desenvolvem a pedido dos clientes, a imaginação é (praticamente) o limite. Uma das grandes vantagens é que a legislação permite, atualmente, construir até 20 metros quadrados de espaço extra à casa sem necessidade de um pedido de licenciamento, o que facilita muito na hora de tomar decisões, uma vez que neste caso não há burocracias.

Esta possibilidade tem ainda outra vantagem, dado que não exige os investimentos adicionais com licenças que outras obras têm de ter. As cores, as dimensões, as formas e os extras, como é o caso dos sistemas de ventilação, dos sistemas de proteção solar e/ou sistemas de segurança, podem ser combinadas de acordo com o espaço disponível, com o gosto pessoal e/ou com o orçamento disponível. A madeira, o vidro e o alumínio são, a par do aço, do PVC e dos novos materiais industriais, as opções mais recomendadas.

Ideias de decoração

Para além das variedades botânicas que os habitam e embelezam, que são, na realidade, os elementos principais dos jardins de inverno, as soluções de decoração que existem atualmente no mercado são variadas e prendem-se, principalmente, com o uso que pretende dar ao espaço. Se o objetivo for desfrutar de uma agradável zona de refeições, por exemplo, então, nesse caso, uma mesa e várias cadeiras revestem-se de importância acrescida. Tendo a possibilidade, invista ainda num móvel ou num carrinho de apoio.

Mas, se pretende apenas usar essa área para descanso ou lazer, provavelmente os cadeirões, as espreguiçadeiras e os sofás ocuparão grande parte do espaço. Este é também o cenário ideal para uma cama de rede, com ou sem estrutura de apoio. Outra opção é criar zonas mistas, de refeições e lazer ou de lazer e espaço de trabalho ou até mesmo um espaço mais vocacionado para as crianças. As opções são múltiplas para esta extensão da casa e o mercado está repleto de soluções para todas as ideias criativas.

Conselhos de manutenção

Como qualquer jardim, também os jardins de inverno, à semelhança das plantas que os habitam, decoram e nalguns casos purificam, necessitam de cuidados e de manutenção. A iluminação e a ventilação são dois aspetos muito importantes. Estas infraestruturas necessitam de uma boa luminosidade, embora não seja necessário que recebam luz direta do sol. A ventilação, por sua vez, deve ser proporcionada por janelas que permitam a circulação do ar, evitando assim a formação de fungos que podem matar as plantas.

Por isso, de acordo com os especialistas em jardinagem e botânica, as janelas devem estar abertas durante os meses de maior calor e durante três horas, pelo menos, duas vezes por semana, nos restantes. Regas periódicas e limpeza das folhas asseguram, também, a saúde das plantas que habitam nestes espaços. As variedades botânicas devem ser regadas, pelo menos, três vezes por semana nos períodos de maior calor. Begónias, buganvílias, roseiras e arálias-japonesas e crótons são opções aconselhadas.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.