A Eugenia myrtifolia é, nos dias que correm, a planta mais procurada para formar sebes vivas, sendo também a minha planta de eleição. São diversas as razões para haver esta preferência especial. Por ser uma planta muito ramificada e compacta, constitui um verdadeiro muro verde. O seu crescimento é fácil de controlar, exigindo apenas dois ou três cortes por ano, por norma. E, sendo de folha persistente, faz muito pouco lixo.

As suas folhas são verdes e brilhantes, mas os rebentos novos, que alegram qualquer jardim, são coloridos, entre o vermelho e o laranja, podendo adquirir diferentes tonalidades ao longo do ano. O fruto é arroxeado, decorativo e comestível. A Eugenia myrtifolia, ainda desconhecida de muitos, é uma planta de fácil aquisição em qualquer centro de jardinagem. O seu tamanho oscila entre os 30 centímetros e os 2,5 metros.

Originária da Nova Zelândia, esta é uma planta multifacetada que se enquadra muito bem em diferentes tipos de situações. Pode fazer uma sebe entre 1,5 metros e 4 metros, é facilmente mantida em vaso e tem ainda uma outra vantagem que se pode revelar decisiva no momento da escolha e da aquisição. Pode ser esculpida em topiária, dando-lhe uma forma ou pode simplesmente plantar-se como arbusto isolado e ornamental.

Os cuidados de cultivo essenciais

As eugenias toleram diferentes exposições solares, desde pleno sol até meia-sombra. Funcionam bem como cortina de vento, mas não gostam de estar diretamente expostas ao ar marítimo. O solo deve estar bem drenado, ter uma boa estrutura e são necessárias regas regulares para manter a humidade no terreno. O compasso de plantação deverá andar entre os 50 centímetros e um metro, se se desejar uma sebe compacta.

O que simbolizam as flores que admira nos jardins
O que simbolizam as flores que admira nos jardins
Ver artigo

Uma sebe de eugenias é muito fácil de conduzir porque o seu crescimento é pouco vigoroso e muito denso, mantendo-se ramificada desde a sua base. Duas a três podas por ano serão suficientes para manter a sua forma. Em geral, as plantas são muito menos vulneráveis ao ataque por pragas ou doenças quando se mantém o terreno fértil, arejado, bem drenado e com rega automática. As eugenias, em particular, são muito resistentes, mas nos primeiros anos e nas estações mais quentes é preciso estar atento ao pulgão e à cochonilha.

Para controlar estas pragas, devem-se aplicar produtos fitofarmacêuticos logo que se detete a sua presença. Para o pulgão, pode aplicar um qualquer inseticida de contacto e, para a cochonilha, produtos à base de cloropirifos e óleo de verão. Quando a água é muito calcária, as folhas têm tendência a ficar um pouco amarelas. Nos invernos muito frios e com temperaturas negativas, podem também ficar queimadas com as geadas.

Texto: Tiago Veloso (engenheiro florestal)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.