Anda a ponderar plantar árvores ou arbustos e/ou reforçar o número de flores no seu jardim mas tem dúvidas quanto às melhores formas de proceder para o conseguir? Não se apoquente mais! Bruno Aguiar, engenheiro do ambiente e dos recursos naturais, esclarece, de seguida, aquelas que são cinco das principais dúvidas que muitos dos que têm a mesma pretensão continuam a ter nos dias que correm. Algumas delas são mais simples do que o que pensa.

O solo que tenho no meu jardim é bom para plantar aquilo que quero?

Pode não ser. Existem variedades botânicas que exigem solos mais compactos e outras que pedem terrenos mais soltos. Antes de a adquirir, verifique se o tipo de solo que tem no seu jardim é adequado para a árvore ou para a planta que pretende colocar, caso contrário poderá ter de fazer correções ao solo existente.

Como é que devo regar uma árvore depois de a plantar?

Nos primeiros dois a três anos de vida da árvore, é importante que as regas sejam feitas nas alturas e quantidades devidas, consoante o tipo de solo. Crie uma caldeira em volta do tronco com uma dimensão adequada à dimensão da copa da planta, de forma a facilitar a rega e evitar que a água fuja e não penetre no solo. Em plantas de grande porte com um sistema radicular profundo, coloque um tubo para encaminhar a água diretamente para a zona das raízes.

Qual é a importância da tutoragem?

Essa é outra dúvida muito comum. Este procedimento tem por finalidade ajudar na fixação da árvore ao solo, para que o sistema radicular se forme convenientemente e não seja afetado por deslocações da árvore causadas por vento e outros fatores. Este trabalho pode ser feito com estacas de madeira com uma altura adequada à árvore a plantar, pelo menos dois terços da altura do tronco da árvore e das cintas que irão fazer a ligação entre a árvore e a estaca.

A quantidade de estacas, assim como a sua posição, devem ser definidas com a ajuda de um profissional, que deve contratar previamente. O tutor e cintas devem ser verificados pelo menos uma vez por ano, por forma a ir adaptando o aperto da cinta ao desenvolvimento da planta e verificar a necessidade de substituir o tutor por um mais forte e alto. Quando a planta se apresenta bem estruturada e ancorada ao solo, esse tutor pode ser, posteriormente, removido.

Que cuidados devemos ter com a cobertura de solo?

Aplique uma camada composta por entre 5 a 10 centímetros de resíduos orgânicos em volta do tronco à superfície, deixando uma folga em volta do tronco para evitar o seu apodrecimento. Esta técnica, muito utilizada por muitos profissionais, ajuda na retenção da água no solo e evita o aparecimento de ervas infestantes que iriam competir por água e nutrientes.

Como plantar as anuais e os bolbos?

Esta é uma outra dúvida muito comum. Estes espécimenes botânicos preferem solos bem cultivados e precisam, por norma, de ser bem regados em clima seco após a sua plantação. Uma regra importante para a plantação dos bolbos é plantá-los a uma profundidade de três vezes o seu tamanho. Este gesto, muitas vezes menosprezado pelos jardineiros amadores, pretende garantir uma boa sustentação da espécie, para além de prevenir a seca, o que é outra vantagem.

Tarefas de inverno para conseguir um jardim (ainda) mais verde

Texto: Bruno Aguiar (engenheiro do ambiente e engenheiro dos recursos naturais) com Luis Batista Gonçalves (edição digital)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.