"Onde acaba a palavra, começa a música": a citação de E. T. Hoffmann na apresentação do Festival ao Largo deste ano é certeira. Com direção artística de Patrick Dickie (Teatro Nacional de São Carlos) e de Luísa Taveira (Companhia Nacional de Bailado), o Festival ao Largo tem início já no dia 8 e 9 de julho, às 21h30, com a Orquestra Sinfónica Portuguesa e a Orquestra de Sopros e Percussão do Conservatório Regional de Artes do Montijo. No dia 10, tem lugar a atuação da Orquestra Metropolitana de Lisboa em nos dias 13 e 14, o teatro  regressa ao Largo com Sonho de Uma Noite de Verão, uma homenagem a William Shakespeare pela Escola Superior de Teatro e Cinema, com coprodução do Teatro São Luiz e Teatro Nacional Dona Maria II. No dia 15, volta a atuar a Orquestra Sinfónica Portuguesa, desta vez com o Coro de teatro Nacional de São Carlos, e a solo dos dias 16 e 17. Já no dia 19, ouve-se a Orquestra Sinfónica Juvenil e, no dia 21, a Orquestra Gulbenkian. A ópera está reservada para os dias 22 e 23, com a Cavalleria Rusticana de Pietro Mascagni. Para terminar em beleza, a Companhia Nacional de Bailado dança coreografias de Herman Schmerman, George Balanchine, William Forsythe e Hans van Manen, nos dias 28, 29 e 30 de julho, sempre às 22h.

De destacar a presença de Mário Laginha, na dupla qualidade de compositor (dias 8 e 9, Mãos na pedra, olhos no céu, interpretado pela Orquestra Sinfónica Portuguesa) e de pianista (dia 21 , Concerto para piano e orquestra, composição sua, interpretada também com a Orquestra Gulbenkian).

O Festival ao Largo é patrocinado pelo Millenniumbcp e tem o Lisbon Marriot Hotel como hotel oficial.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.