A Doença Bipolar, traduz-se na forma como a pessoa age para com os outros, podendo levar a comportamentos extremos que, de alguma forma, se reflectem no dia-a-dia, como sejam, as frequentes alterações de humor.

O doente bipolar não tem a noção de certas e determinadas situações, podendo causar até o mau - estar nas pessoas que o rodeiam.

As crises podem ser frequentes, caso o paciente não recorre a qualquer tipo de tratamento, ou então, podem ser mais moderadas. Ao invés, se o doente bipolar se sujeitar algum tipo de tratamento, verá a sua vida social mais facilitada.

O paciente bipolar tem alguma dificuldade em conseguir escolher o que quer e o pretende. Fruto da doença, vive de extremos, tanto pode amar, como odiar e acaba sempre por culpar os outros, dos seus problemas.

É muito importante que o bipolar reconheça que necessita de tratamento, pois o contrário torna a sua vida totalmente condicionada por esta doença.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS DA DOENÇA BIPOLAR?

Veja na próxima página a continuação do artigo

FASE DA MANIA

A fase de “Mania” é um estado de humor elevado e expansivo, eufórico ou irritável. Nas fases iniciais da crise, a pessoa pode sentir-se mais alegre, sociável, activa, faladora, auto-confiante, inteligente e criativa.

Com a elevação progressiva do humor e a aceleração psíquica, podem surgir alguns dos seguintes sintomas:

• Irritabilidade extrema, a pessoa torna-se exigente e zanga-se quando os outros, não acatando os seus desejos e vontades;

• Alterações emocionais súbitas e imprevisíveis, os pensamentos aceleram-se, expressão verbal é muito rápida, com mudanças frequentes de assunto;

• Reacção excessiva a estímulos, interpretação errada de acontecimentos, irritação com pequenas coisas, levando a mal comentários banais e sem qualquer importância;

• Aumento de interesse em diversas actividades, despesas excessivas, dívidas e ofertas exageradas;

• Grandiosidade, aumento do amor-próprio. A pessoa, pode sentir-se melhor e mais poderosa do que toda gente;

• Energia excessiva, possibilitando uma hiperactividade ininterrupta;

• Diminuição da necessidade de dormir;

• Aumento da vontade sexual, comportamento desinibido com escolhas inadequadas;

• Incapacidade em reconhecer a doença, tendência a recusar o tratamento e a culpar os outros pelo que corre mal;

• Perda da noção da realidade, ideias estranhas (delírios) e “vozes”;

• Abuso de álcool e de substâncias.

Veja na próxima página a continuação do artigo

FASE DE DEPRESSÃO

O principal sintoma é um estado de humor de tristeza e desespero. Em função da gravidade da depressão, o doente bipolar pode sentir-se, alguns dos sintomas que, a seguir, se enumeram:

• Preocupação com fracassos ou incapacidades e perda da auto-estima. Pode ficar-se obcecado com pensamentos negativos, sem conseguir afastá-los;

• Sentimentos de inutilidade, desespero e culpa excessiva;

• Pensamento lento, esquecimentos, dificuldade de concentração e em tomar decisões;

• Perda de interesse pelo trabalho, pelos hobbies e pelas pessoas, incluindo os familiares e amigos;

• Preocupação excessiva com queixas físicas, como por exemplo a obstipação;

• Agitação, inquietação, sem conseguir estar sossegado ou perda de energia, cansaço, inacção total;

• Alterações do apetite e do peso;

• Alterações do sono: insónia ou sono a mais;

• Diminuição do desejo sexual;

• Choro fácil ou vontade de chorar sem ser capaz;

• Ideias de morte e de suicídio; tentativas de suicídio;

• Uso excessivo de bebidas alcoólicas ou de outras substâncias;

• Perda da noção de realidade, ideias estranhas (delírios) e “vozes” com conteúdo negativo e depreciativo;

Veja na próxima página a continuação do artigo

QUANTO TEMPO DURA UMA CRISE?

Varia muito. A pessoa pode estar em fase maníaca ou depressiva durante alguns dias, ou durante vários meses. Os períodos de estabilidade entre as crises podem durar dias, meses ou anos. O tratamento adequado, encurta a duração das crises e pode preveni-las.

É POSSÍVEL PREVER AS CRISES?

Depende dos casos. Normalmente as crises têm tendência a dar-se em alturas em que a pessoa se encontra mais em baixo, há duas estações do ano mais críticas, designadamente, Inverno e Primavera.

EM QUE IDADE SURGE A DOENÇA?

A doença da bipolar idade não escolhe idades, raças, sexo ou religião, por isso, é de importante que, caso note alguma diferença em si, tente procurar ajuda. Normalmente a tendência é para esta doença se desenvolver na adolescência.

QUANTAS PESSOAS SOFREM DA DOENÇA BIPOLAR?

Estima-se que muita gente sofra desta doença. Algumas pessoas não têm sequer conhecimento e acabam por associar esta doença a um determinado estado de espírito para qual arranjam uma justificação, aparentemente, plausível.

Veja na próxima página a continuação do artigo

QUAL A CAUSA DA DOENÇA?

A causa da doença ainda é desconhecida, pois há quem fundamente em situações negativas do passado. A verdade é que, muitas das vezes, as nossas experiências que passamos, sejam ao nível emocional ou até profissional, podem impelir o desenvolvimento desta doença. Sabe-se apenas que a doença bipolar está ligada à parte emocional.

DEPOIS DE UMA CRISE O PACIENTE VOLTA AO NORMAL?

Sim, embora como referi há pouco, depende do tratamento e se o paciente, está ou não, a segui-lo. De todo modo, uma crise demora sempre algum tempo a passar e acaba por condicionar os vários factores da vida da pessoa, ou seja, quando a pessoa melhora, é como se estivesse a começar do zero e acaba por prometer a ela própria que vai ter força para a superar. No entanto, quando passa a pessoa volta ao seu estado normal te, vontade de fazer muita coisa ao mesmo tempo.

PORQUE É TÃO IMPORTANTE A CONSCIENCIALIZAÇÃO DOS DOENTES, DOS FAMILIARES E DE OUTRAS PESSOAS SOBRE A DOENÇA BIPOLAR?

É muito importante que a família e os amigos tenham consciência do que é a doença bipolar. Pois para além de poderem auxiliar o paciente, também acabam por tornar a vida deste muito mais fácil. Chamamos à atenção que o doente bipolar é um ser altamente incompreendido e que se não for respeitado, provocar nele, alguns sentimentos de abandono em relação a quem o rodeia.

Veja na próxima página a continuação do artigo

HÁ TRATAMENTO PARA AS CRISES E PARA A DOENÇA BIPOLAR?

Sim, existe tratamento este pode realizado, através de medicina convencional ou com recurso à medicina tradicional.

Enquanto terapeuta, posso afirmar que com o recurso à Radiestesia, a utilização do Pêndulo auxilia na cura deste tipo de distúrbios, uma vez que é capaz de proceder ao reequilíbrio energético que o paciente bipolar não possui. É tratamento desafiante quer para minha, enquanto terapeuta, quer para o paciente.

Embora a medicina possa ajudar a tratar e controlar esta doença, o doente bipolar terá sempre de recorrer a fármacos, o que cria uma dependência da medicação, sem resolver a causa que lhe subjaz.

Como já tive a oportunidade de exprimir publicamente, eu defendo e aplico o método antigo de Radiestesia, ou seja, com o recurso a instrumentos, nomeadamente, pêndulo, que permitem, de uma forma clara e perceptível, obter as respostas reproduzidas pelo nosso Inconsciente e, desta forma, procuro curar os casos mais complicados de Bipolaridade que têm surgido no meu gabinete, seja numa fase inicial, seja já numa fase mais desenvolvida.

Em conclusão, com a aplicação do método supracitado, já vi nos meus pacientes resultados absolutamente surpreendentes que se reflectiram no restabelecimento do seu equilíbrio pleno, irradiação definitiva de sintomas de bipolaridade e consequente melhoria muito significativa da sua qualidade de vida.

Mude a sua vida e seja feliz!

  Patrícia Bernardo nasceu em Lisboa e é terapeuta há 10 anos. Dá consultas em Lisboa de tarot cigano, radiestesia e astrologia. Faz assessoria de futuro, acompanhada de terapias da mente e de auto-ajuda que desbloqueiam o campo energético e aceleram os objectivos que cada um se propôs.

Contactos:

Rua Barão de Sabrosa nº 342 1º Esq. 1950 - 145 Lisboa
Tel: 96 413 60 80
www.patriciabernardo.com
E-mail:

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.