Por contingência o leitor já desejou alguma vez que o próprio tempo desacelerasse a fim de que fosse capaz de acompanhá-lo? Ou então, que o mundo parasse de girar por um só instante para que pudesse sair dele? Já tentou encontrar, quiçá, um preenchimento mais profundo na sua vida? Se, eventualmente, a resposta às questões que aqui vos deixo for SIM, então, provavelmente chegou para si a hora de experimentar e participar de um “retiro espiritual”.

É natural que o leitor pense neste momento - que tem sempre uma falta de tempo crónica, quer na libertação dos deveres do seu trabalho profissional diário, como para com a sua família ou amigos, por uma quinzena, ou mesmo por uma semana? Pois bem, não há problema algum nisso; um “retiro espiritual” depende muito mais da qualidade do seu tempo do que na quantidade do mesmo. Mesmo um fim-de-semana pode ser suficiente para afrouxar as suas tensões mais profundas, relaxar a sua mente e elevar o seu espírito.

Perguntará o leitor: O que é um “Retiro Espiritual”?

Um retiro espiritual não é para ninguém livrar-se de tudo o quanto o rodeia, mas, simplesmente, para entrar em contacto consigo mesmo, retraindo-se do mundo exterior diário a fim de experimentar os seus encantos internos, passar tempo consigo em vez de estar com as outras pessoas desfocando-se do seu “interior”, e, assinaladamente, descobrir verdades eternas frequentemente escondidas pelas chamadas consistências quotidianas.

É, efectivamente, um momento para fortificar e redescobrir o “EU Superior” e renovar o seu poder pessoal!

Veja na próxima página a continuação do artigo..

Um “retiro espiritual” está ligado ao silêncio e à tranquilidade – silêncio da mente, tanto quanto da língua; tranquilidade do espírito, tanto quanto do corpo. Silêncio e tranquilidade que lhe permitirão sair do movimento do “fazer” e familiarizar-se com o “ser”. Na verdade, a parte mais profunda do seu “ser”, a alma, é silenciosa e tranquila por natureza. A paz e a serenidade que tanta gente procura, existe realmente internamente, o leitor apenas se esqueceu de como experimentá-las!

Um “retiro espiritual” pode ajudar a redescobrir e a cultivar a consciência espiritual, independentemente da crença ou fé que se possua. Uma vez que se tenha experimentado essa consciência mais elevada, se tenha aprendido a reconectar-se com o seu “ser” eterno, poderá o leitor mover-se novamente para o movimento da vida com uma perspectiva bem mais refrescada e equilibrada, ou seja, com bom senso!

Certamente, com a experiência vivencial de um “retiro espiritual”, o leitor encontrará um novo propósito e significado para a sua vida pessoal e, sobretudo, com a melhor maneira de conectar-se com todos os outros seres e com o seu próprio mundo onde vive.

Então, anime-se, participe de um Retiro Espiritual e seja realmente feliz!
Bem Hajam!
Carlos Amaral*

Veja as entrevistas com o autor no Programa SAPO Zen:

Convidado Carlos Amaral

O Autor:

Carlos Amaral, Venerável Lama Khetsung Gyaltsen

Mestre em Naturopatia;Especializado em Medicina Ortomolecular; Medicina Homeopática; Medicina Homotoxicológica; Medicina Ayurvédica e Tibetana;Doutorado em Religiões Comparadas e em Metafísica;Investigador em Psicologia Transpessoal & Regressão Memorial;Professor de Budismo, Meditação Tibetana, Raja-Yoga, Kryia-Yoga e Karma-Yoga; Autor e Palestrante.

Contactos:

email:carlos.amaral@netvisão.pt


967 552 386
912 120 868

Coordenação de Conteúdos:
Heloisa Miranda
email: sapozen@sapo.pt
Veja o programa SAPO Zen: zen.sapo.pt

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.