Físico americano de origem alemã que formulou as teorias da relatividade e desenvolveu o estudo sobre a física das radiações e a termodinâmica. Em 1905, publicou a teoria especial da relatividade e, em 1915, a teoria geral da relatividade. A sua concepção das leis básicas que regem o universo foi descrita na teoria de campo unificado, publicada por Einstein em 1953. Foi galardoado com o prémio Nobel da física em 1921.

As teorias da relatividade de Einstein revolucionaram o entendimento da matéria, do espaço e do tempo. Einstein também demonstrou que o comportamento da luz exibe semelhanças com o de uma partícula e, em 1905, trabalhou sobre o efeito fotoeléctrico, que governa a produção de electricidade a partir de metais sensíveis à luz. Também em 1905, investigou o movimento browniano, explicando-o de tal forma que não apenas confirmou a existência dos átomos, como estabeleceu a utilização deste movimento para a determinação das suas dimensões. Propôs igualmente a equivalência entre massa e energia, o que permitiu aos físicos o aprofundamento da compreensão da natureza do átomo, tendo também explicado a radioactividade e outros processos nucleares.

Einstein nasceu em Ulm, na Alemanha e viveu em Munique e na Itália, antes de se ter estabelecido na Suíça. Desaprovando o militarismo alemão, tornou-se cidadão suíço e foi inspector de patentes em Berna. No tempo livre de que dispunha, realizou um doutoramento em Zurique onde, em 1909, se tornou professor universitário. Depois de ter ensinado em Praga, em 1911, voltou a Zurique em 1912. Em 1913, ocupou um lugar criado especialmente para si no Instituto de Física Kaiser Wilhelm, em Berlim. A confirmação da teoria da relatividade a partir do estudo do eclipse solar de 1919 tornou-o mundialmente célebre. Privado do seu lugar berlinense pelos nazis, emigrou para os Estados Unidos da América em 1933, tornando-se professor de matemática e membro permanente do Institute for Advanced Study em Princeton.

Veja a continuação do artigo na página seguinte

Em 1939, Einstein preveniu o então presidente dos Estados Unidos da América para a possibilidade dos alemães estarem a desenvolver uma bomba atómica. Este aviso impulsionou os americanos para o fabrico da bomba atómica, mas Einstein não tomou parte nele. Após a II Guerra Mundial, empenhou-se no movimento de abolição das armas nucleares. Em 1952, o estado de Israel conferiu-lhe a honra mais elevada, a presidência, oferta que Einstein declinou.

Em 1999, um trabalho de investigação levado a cabo pela Universidade McMaster, no Canadá, revelou que os lóbulos do cérebro de Einstein eram maiores que os lóbulos de um cérebro normal. A zona associada à capacidade de visualização e pensamento matemático era maior cerca de 15% nas duas extremidades. Ao contrário do que é considerado normal, também não existia um intervalo a meio do cérebro. O estudo foi possível graças à doação, por parte da família do físico, do cérebro. No final do mesmo ano, a revista Time elegeu Albert Einstein como a «Personalidade do Século XX».

Fonte: Biblioteca Universal.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.